Meteorologista explica baixas temperaturas na região e diz que frio deve permanecer até agosto

0

O professor e meteorologista da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), Mário Miranda, explicou os motivos da mudança climática que atingiu a região nos últimos dias. Na terça-feira (4), os termômetros das Estações Meteorológicas Automáticas do Laboratório de Meteorologia (LabMet), da Univasf, marcaram 18,8°C em Petrolina e 19,3°C em Juazeiro, por volta das 5h da manhã. Estas foram as menores temperaturas registradas durante o dia. A alta velocidade do vento e a umidade elevada do ar contribuíram para que a sensação térmica fosse 3°C mais baixa.

Miranda disse que a região está experimentando uma antecipação do que ocorre geralmente no final de julho e início de agosto, quando os ventos são mais fortes e o frio é mais acentuado. “Isso se deve a um centro de alta pressão que se encontra sobre o Oceano Atlântico na altura do Sul e Sudeste do país, que está empurrando o ar frio para as regiões Sudeste e Nordeste”, observou. Este mesmo fenômeno ocorreu em 2007. O professor lembrou ainda que nesta época do ano, os dias são mais curtos e as noites mais longas. Com isso a incidência de raios solares sobre a Terra é menor, o que diminui o aquecimento do ar próximo da superfície no Hemisfério Sul.

Mas a baixa temperatura de ontem  foi a menor mínima registrada na região este ano. Até agora, segundo dados do LabMet, o dia mais frio do ano foi 5 de junho, quando os termômetros registraram 17°C. Segundo Miranda, a sensação térmica provocada pela velocidade dos ventos faz com que as pessoas percebam o frio com mais intensidade. Ele disse que a sensação términa registrada ontem foi de 15°C.

As baixas temperaturas de ontem foram registradas também em outras cidades da Bahia e de Pernambuco, a exemplo de Senhor do Bonfim (BA) e Garanhuns (PE), que tiveram mínima de 15,3°C; e Triunfo (PE), onde fez 14,1°C. A previsão até o início de agosto, de acordo com o meteorologista, é que a nebulosidade permaneça sobre a região, assim como as temperaturas mais amenas, especialmente durante as madrugadas de céu estrelado. E os ventos poderão se tornar ainda mais fortes.

Mínimas históricas

Desde que as medições de temperatura começaram a ser realizadas pelas Estações Meteorológicas Automáticas do LabMet, em 1º de abril de 2007, a menor mínima foi registrada em 14 de agosto de 2007, quando fez 14,6°C na região. Julho e agosto são os meses em que geralmente são registradas as menores temperaturas do ano, conforme quadro abaixo. O  LabMet conta com uma Estação Meteorológica no Campus Ciências Agrárias (CCA), em Petrolina, e outra no Espaço Plural, em Juazeiro.

Miranda contou que em suas pesquisas na zona rural de Petrolina já identificou a ocorrência de temperaturas ainda mais baixas. “No dia 1º de agosto de 2006, fez 13,6°C na Fazenda Mascarello, no projeto N10, em Petrolina. E no ano passado, na Fazenda Águia do Vale, no projeto Maria Tereza, tivemos o registro de mínima de 14°C”, relatou. No entanto, o professor frisou que no campo as temperaturas registradas são normalmente mais baixas que nas áreas urbanas, o que explica a ocorrência dessas mínimas.

As menores mínimas já registradas na região são as seguintes:

18/08/2007 – 14,6°C;

18/06 e 27/07/2008 – 14,7°C;

04/08/2016 – 14,7°C.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome