Mesmo em momento tão delicado, sertanejos comemoram barragens cheias pelas chuvas

1

Apesar de tantas notícias ruins relacionadas à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a população dos sertões do Pajeú e do Moxotó ao menos tem uma razão para sorrir. As recentes chuvas confirmaram as previsões dos institutos de meteorologia e encheram muitas barragens.

Esse fato pode ser visto em Afogados da Ingazeira, Iguaraci  e Ingazeira. Já em Sertânia, as chuvas chegaram a interromper o tráfego de veículos pela BR-232, após uma grande quantidade de água invadir a pista (foto). O fato foi registrado no dia de ontem (24).

1 COMENTÁRIO

  1. Como se vê, a maior quantidade de água não fica represada. A maior quantidade de água vai cair no São Francisco que vai cair no mar, ou seja, vai voltar de onde veio. Para essa água chegar nas barragens, primeiro ela evaporou das águas do mar, se formou as nuvens, que através dos ventos se deslocaram até essas localidades e ali despejaram as águas. A Mãe Natureza fez tudo isso, dessalinizou as águas do mar através da evaporação, formou as nuvens e transportou essas nuvens para todo o semiárido e lá despejou toda essa água, cujo volume esse ano deve ultrapassar os 600 bilhões de metros cúbicos, que é igual a 600 trilhões de litros de água. Desse volume, acho que 10% ficará retido nos barramentos existentes, o restante voltará para o mar, e mais, desses 10% represados, durante o primeiro ano, 30% será evaporado sem nenhuma utilização, mas se tivéssemos bastantes barragens gálgaveis/subterrâneas, pelos menos mais 5% dos 600 bilhões poderiam ser represados e utilizados através de Poços Amazonas+Pequenos Bombeamentos, e aí o matuto do semiárido teria água para beber, plantar de irrigação e vazante , e então deixar de ser um estorvo para os governos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome