Médicos estrangeiros começam a trabalhar em setembro e curso de Medicina passará de seis para oito anos

15

medicinaO Governo Federal está lançando, neste momento, em Brasília, o programa “Mais Médicos”, que tem o objetivo de aumentar o número de profissionais na rede pública de saúde em regiões carentes, e permite a vinda de estrangeiros ou de brasileiros que se formaram no exterior sem a necessidade de revalidação do diploma.

A previsão do Ministério é que até 18 de setembro todos os profissionais escolhidos dentro do “Mais Médicos” estejam atuando no país. O programa é instituído por meio de Medida Provisória (MP) assinada pela presidente Dilma Rousseff (PT), e regulamentado por portaria conjunta dos Ministérios da Saúde e da Educação.

A Medida Provisória também institui a abertura de 11.447 vagas nas universidades de Medicina até 2017 e, a partir de 2015, aumenta em dois anos a grade curricular do curso, com formação voltada à atenção básica e setores de urgência e emergência.

Vagas

Nesta terça-feira (9) três editais deverão ser publicados no Diário Oficial da União. Um deles convoca os médicos interessados no programa, brasileiros e estrangeiros; o segundo é voltado aos municípios com déficit de médicos; e o terceiro seleciona as instituições de educação que vão supervisionar os estrangeiros que querem atender no Brasil.

A quantidade de vagas de médicos será determinada a partir do cruzamento dessas informações. A estimativa do Ministério da Saúde é que sejam abertas 10 mil vagas nas periferias das grandes cidades e nos municípios do interior. Cada um dos médicos vai receber uma bolsa federal de R$ 10 mil. O programa tem investimento de R$ 2,8 bilhões.

Segundo o governo, a prioridade será preencher as vagas do programa com profissionais brasileiros. Os postos de trabalho remanescentes serão completados com profissionais estrangeiros ou brasileiros formados no exterior. As informações são do G1.

15 COMENTÁRIOS

  1. TEMOS QUE RESOLVER O PROBLEMA COMO UM TODO.
    TRAZER MÉDICOS (BRASILEIROS OU DE FORA) É EXCELENTE.
    MAS SE NÃO TIVEREM CONDIÇÕES MÍNIMAS DE TRABALHO NÃO ESTAREMOS RESOLVENDO O PROBLEMA, MAS APENAS TRANSFERINDO O PROBLEMA PARA O FUTURO.
    O EXEMPLO DE SOLUÇÕES PALIATIVAS NO PASSADO É QUE NOS LEVARAM A REALIDADE VIVIDA HOJE.

  2. A preocupação do governo é a estatística. “Tantos médicos para tantos habitantes.” Você acha que contratando milhares de médicos sem conceder uma infraestrutura adequada e o aval para solicitações de exames e tratamentos imediatos, vai mudar alguma coisa? Sem esquecer, que não é apenas os médicos que trabalham na saúde. Cadê a importância da palavra linda “INTERDISCIPLINARIDADE”? a Equipe de Enfermagem não trabalha? Olhem o quanto sofre um profissional de enfermagem, tem que trabalhar em mais de 3 estabelecimento para garantir o mínimo para suas famílias. Existe uma luta a mais de 10 anos pelas 30 horas de jornada e aprovação do piso da categoria. E o governo? E a população? E a mídia? Essa só noticia a enfermagem pelos erros acontecidos, esses na maioria das vezes por excesso de trabalho pela necessidade citada. Todos devem ser valorizados Nutricionistas, Fisioterapeuta, Biomédico, Farmacêutico, Odontólogos, Enfermeiros, Técnicos e Auxiliares de Enfermagem, ACS, etc. Assim nós estaríamos preocupados com a saúde pública do Brasil. Abram os olhos população. Isso não vai mudar nada.

  3. Cada um puxando a sardinha para o seu prato. Isso se chama CORPORATIVISMO!!!! Arrocha Dilma, traga milhares de médicos para ver se os daqui baixam a bola, passando a atender melhor o cidadão e por um preço mais em conta, por que cobrar 220 reais por uma consulta de 30 segundo é um extorsão!!!

  4. Eu sou a favor de que tragam médicos de fora, porém, devidamente bem avaliados por um teste.
    Mas, sou contra prolongar os cursos de medicina por mais 2 anos; imaginem passar 8 anos para ter um diploma! Daí, depois disso teriam que passar mais vários anos para concluir uma residência/especialização médica. O que vai ocorrer com isso é o seguinte: aumento de médicos do SUS apenas nas regiões onde têm faculdades de medicina (não necessitam de professores?!) e diminuição dos médicos especializados no geral mais na frente…
    Esse governo gosta de “tapar o sol com a peneira”.

  5. sou a favor de trazer medicos de fora, mas esse negocio de aumentar pra 8 anos o curso de medicina daqui e obrigar todo mundo a trabalhar no sus… fico imagina como um medico brasiliro ta olhando dilma

  6. Excelente iniciativa do Governo Federal. Quem sabe agora haverá um mínimo de retorno social daqueles que cursam Medicina em Instituições públicas gratuítas e depois só procuram ganhar dinheiro de maneira absolutamente egoística e privada.

  7. Faz pouco tempo paguei uma consulta não fiquei nem 7 minutos, sai me sentindo lesada, que venham médicos de fora mais também que sejam bem avaliados, sim também sou a favor do aumento de anos no curso de medicina para 10 anos e também que sejam obrigado a trabalharem no SUS.

  8. O governo tem o meu apoio como cidadão.O meu e o da maioria das pessoas que precisam esperar por um ano de fila para uma consulta.Não precisamos de mais médicos porque eles salvam nossas vidas não,precisamos de mais médicos porque, por uma legislação voltada para beneficiar a classe médica, tudo tem que passar por este profissional,o que torna a saúde muito burocrática,se tivermos mais médicos com certeza teremos a assinatura de um profissional dessa espécie bem mais rápido, e é disso que saúde precisa, celeridade.Pois não é certo uma pessoa com câncer esperar um ano na fila pra uma consulta, para só depois o bonito do médico ver o que todo mundo está vendo, pq depois de um ano o paciente com câncer sem se tratar já está quase morrendo, e aí só então, depois de um ano ele dizer que a pessoa precisa fazer quimioterapia.Já pensou, um ano esperando por uma consulta, pra depois começar a quimioterapia. É melhor dá logo o Atestado de Óbito.

  9. Sou a favor de avaliação dos médicos da Europa, por sinal bem mais desenvolvida que nosso país de terceiro mundo e sou a favor de avaliação para os médicos de Cuba, considerada uma das melhores medicinas do mundo. Mas sou a favor da avaliação para esses médicos desde que os que se formam aqui passem por uma rigorosa avaliação também. Ainda assim, prefiro mil vezes, na hora do aperto, ser atendido por um médico espanhol ou português do que por um brasileiro. Só quem sabe a rotina de um hospital é que sabe os absurdos que os médicos daqui fazem ou deixam de fazer, muita gente morre por asneiras mesmo, por uma simples falta de cuidado. Por uma simples falta de atenção em alguma coisa.

  10. Ao menos uma coisa boa D..Dilma tinha que fazer tai! Que venha os médicos de fora, pra ver ser os médicos daqui deixam de tratar o ser humano como moeda, ninguém merece pagar 200 contos numa consulta chegar no consultório as 8:00 da manhã ser atendido as 11:00 por 30 segundos e ser receitado com um monte de remédio dos laboratórios que lhe pagam comissão, está na hora desses medicozinhos de porta de bar de faculdade aprenderem a respeitar o ser humano e dar valor ao trabalho, medicina é uma profissão igual as outras, tem a mesma importância do catador de lixo, aprendam a trabalhar e não tentem ficar rico as custas da fraca saúde do pobre brasileiro!!!

  11. Sou a favor que tragam medicos de fora…
    Acho que fazer medicina é por vocação, por vontade, onde hoje vemos que os “medicos” estão apenas interessados no dinheiro e não na vontade de assumis a sua profissão por gostar dela!

  12. A questão agora é: Como não fazer uso político dos profissionais de medicina que irão trabalhar nas cidades do interior? Sim, pq muitos estarão ligados aos prefeitos que por sua vez irão requisita-los. Serão mais uma arma de manipulação eleitoral?

  13. Para melhorar a saúde pública do Brasil é necessário muitas mudanças. Os médicos hoje em dia só querem regalias, fazem medicina pelo dinheiro, os que atuam na área pública principalmente, que tratam seus pacientes como animais selvagens, só sabem receitar dipirona, atendem na maior rapidez, (e quando atendem), para ter tempo de clinicar em seus consultórios, visando o maior lucro é claro. Quando se perde um ente querido por falta de médico, por que a enfermeira não quis ligar para acordar o sono profundo do médico, quando ele vem chegar já é tarde de mais…é revoltante!!!! É isso mesmo traz gente de fora, que queira trabalhar e honrar pelo juramento de pelo menos tentar salvar vidas! Não é muita coisa mais é um passo. Entrar para área de saúde não é fácil, porém todos sabem a jornada que terão que enfrentar, mas mesmo assim tornam pessoas capitalistas, e se esquecem que estão lhe dando com vidas.

    • Querida Vanessa, enfermeira nenhuma tem obrigação de estar ligando pra médico pra lembrar so seus próprios afazeres não. Afinal quem as acorda pra ficar ao lados dos paciente? Ninguém! Além do mais essas pessoas fazem um curso chamado ENFERMAGEM ou CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM e não “SECRETARIADO MÉDICO”! Pronto, falei!

  14. Que venham os médicos cubanos. Chega de fila nos hospitais. Chega de falta de atendimento. Chega de falta de médico. Chega de consulta cara. Chega de corporativismo. Chega de arrogância média. Salário baixo é o mínimo. Médico não gosta de doente, gosta do dinheiro que o doente pode lhe dar. Dilma está certa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome