Marília e Raquel travam embate mais duro até agora, segundo analistas

por Carlos Britto // 21 de outubro de 2022 às 07:34

Foto montagem: Bruno Campos/JC Imagem

As candidatas ao governo de Pernambuco, Marília Arraes (Solidariedade) e Raquel Lyra (PSDB), que disputam o segundo turno das Eleições 2022, estiveram frente a frente nesta quinta-feira (20) para debater ideias e propostas para o Estado na Rádio Jornal. Até o momento, analistas consideram o embate mais duro entre elas nesta campanha do segundo turno.

O encontro, que contou com transmissão ao vivo pela internet, foi mediado pelo jornalista do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC) Wagner Gomes. Além dele, o colunista do JC Igor Maciel e a apresentadora da TV Jornal Interior Izabela Barbosa foram responsáveis por fazer perguntas às candidatas.

Neste, que foi o primeiro debate promovido pelo SJCC no segundo turno das eleições de Pernambuco, as candidatas apresentaram suas propostas, mas não deixaram de lado os ataques mútuos.

Apesar de ter afirmado, ao chegar ao SJCC, que gostaria que o debate fosse propositivo, e não de ataques, a candidata do PSDB começou a alfinetar a adversária já em sua primeira fala no programa, quando afirmou que ela “representa a continuidade do grupo político que está no poder”.

Em outro momento, questionada por Marília Arraes sobre supostas irregularidades investigadas pelo Ministério Público Federal (MPF) na distribuição de merenda para as escolas de Caruaru, Raquel Lyra afirmou que nunca foi condenada pela Justiça e que a adversária mais uma vez está divulgando fake news sobre a sua campanha.

Nós estamos no momento de discutir Pernambuco, mas a candidata Marília traz mentiras, fake news o tempo inteiro. Ela já foi condenada nove vezes, mas não tem uma acusação dela contra mim julgada procedente”, disse Raquel.

Fui campeã de transparência e todas as ações ligadas à questão da merenda foram julgadas improcedentes na primeira instância“, completou.

Marília, por sua vez, afirmou que que das 137 escolas de Caruaru, 70 não têm refeitórios. “Quem inventa mentiras é você, quem serve merenda estragada é você. Lá em Caruaru uma moça chamou você de Raquel do tapuru“, disparou.

Durante o debate para governadora de Pernambuco, Raquel ainda acusou Marília de ser uma deputada ausente e de se abster de votações que beneficiaram o governo Bolsonaro devido a um acordo com o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP), para conquistar uma vaga na Mesa Diretora da Casa.

Nacionalização

Marília voltou a fazer críticas sobre o posicionamento de Raquel em relação à conjuntura nacional. A deputada recordou tentou associar a tucana a Michel Temer (MDB) e Jair Bolsonaro (PL).

você era aliada de Paulo Câmara, quem colocou foi você, depois a turma de Michel Temer, que hoje é a turma de Bolsonaro”.

A ex-prefeita de Caruaru afirmou que a adversária propaga desinformação sobre o assunto, reforçando sua posição de neutralidade. A união com João Campos, evidenciada na visita de Lula ao Recife na última semana, foi alvo de críticas de Raquel Lyra.

A ex-prefeita de Caruaru insinuou que a briga entre os primos na eleição de 2020 pela Prefeitura do Recife foi encenada, diante da união firmada para o pleito deste ano.

Sobre João Campos, digo isso para todos que estão apoiando Lula. Naquele dia, eu queria que você estivesse comigo, mas você apoia Bolsonaro, fingindo que está neutra. Neutro, só sabão de bebê, precisamos ter posição“, alfinetou Marília.

Vamos discutir o Recife, a RMR, Pernambuco, que me conhece e eu conheço todo lugar, desde que andei com Miguel Arraes e Eduardo Campos“, disse a parlamentar. (Fonte: Rádio Jornal)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.