Marília Arraes engrossa mobilização na sede da Chesf contra privatização de estatal

2
Foto: divulgação

A deputada federal Marília Arraes (PT-PE) participou, na manhã desta terça-feira (18), de um ato na sede da Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf) contra a privatização da Eletrobras. A parlamentar, que encampa a luta contra o desmonte do Estado brasileiro na Câmara dos Deputados, condena a entrega do setor elétrico às empresas privadas.

Marília acredita que a venda da Eletrobras será a mais grave privatização feita pelo Governo Bolsonaro, já que impacta diretamente em cada passo dado pelos brasileiros. “Lá na Câmara não tem sido fácil lutar contra o governo que, cada vez mais, está cooptando parlamentares. Mesmo assim, temos que manter a mobilização popular firme e forte“, declarou.

Com esse processo de privatizações, a Chesf – empresa subsidiária da Eletrobras – será diretamente afetada com a decisão. Criada em 1945, a Companhia é uma das principais geradoras, transmissoras e comercializadoras de energia elétrica do Nordeste. Atualmente, a Chesf tem quase 3.816 funcionários.

A Chesf é uma empresa que faz parte da história do desenvolvimento nordestino. Vamos utilizar os instrumentos que temos para mobilizar o máximo de pessoas possível contra a privatização“, conclamou Marília.

Luta

A luta da deputada contra a privatização da Chesf é antiga. Desde 2017, ainda como vereadora do Recife, a parlamentar vem promovendo audiências públicas sobre os impactos da venda da estatal para o Nordeste com a participação de sindicatos, representantes da sociedade civil e outros parlamentares. A defesa de Marília pelo setor elétrico brasileiro é inspirada nos programas de eletrificação promovidos pelo ex-governador de Pernambuco, Miguel Arraes, durante seus mandatos, e pelo ex-presidente Lula, responsável pela criação do programa ‘Luz para Todos’, que levou energia elétrica para as regiões rurais que ainda não tinham esse serviço.

2 COMENTÁRIOS

  1. Ficam doidos para meter a mão, esse PT até com a renovação da juventude não acabam com seus vícios de quererem meter a mão grande no dinheiro da nação,tem que privatizar mesmo para acabar com o bando de ratazanas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

seis − três =