Lula não vê motivo para demissões

por Carlos Britto // 19 de dezembro de 2008 às 11:19

O presidente Lula negou ontem que o governo estude alterar as leis trabalhistas para evitar o desemprego, em decorrência da crise. Ele disse também que os empresários não têm motivos para demissões e que devem usar os lucros acumulados para pagar funcionários:

– Não é papel do governo fazer aquilo que os trabalhadores têm de fazer com os empresários. Se, em alguma situação, os trabalhadores quiserem a participação ou a intermediação do governo, estaremos prontos, mas achamos que esse problema é dos trabalhadores e empresários.

Lula reiterou que o governo irá fazer todo o possível para evitar que a crise afete os empregados:

– O governo fará de tudo para evitar que a crise atinja o mercado de trabalho. Se, em qualquer circunstância, uma empresa estiver em crise, essa empresa e o sindicato devem se colocar de acordo e evitar que os trabalhadores sejam penalizados.

Sobre uma possível ampliação das parcelas do seguro-desemprego, em caso de aumento das demissões, disse que parte dos recursos para o pagamento deveria vir dos lucros acumulados pelos empresários:

– Uma parte dos empresários deveria pagar com uma parte acumulada dos lucros. O governo não deixará de assumir a responsabilidade de cuidar dos trabalhadores, mas nenhum empresário ainda tem motivo para mandar um trabalhador embora.

Todos os setores devem ter como prioridade evitar que a parte fraca da cadeia, ou seja, os trabalhadores, seja prejudicada, acrescentou:

– Não há nenhuma razão para que os trabalhadores sejam mandados embora. É só analisar os números do comércio. O papel do empresário, agora, não é encontrar um jeito de ficar mantendo o mesmo lucro. É trabalhar de forma rápida, com o governo, para evitar que a crise chegue a toda a sociedade.

O presidente afirmou que as medidas anunciadas até agora pelo governo são preventivas, para estimular a continuidade dos investimentos no primeiro trimestre de 2009.

O Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador, do Ministério do Trabalho, recebeu de empresários paulistas um estudo que pede a suspensão de contratos trabalhistas por até 10 meses. No período, o empregado receberia cursos de qualificação remunerados. Mas a suspensão temporária do contrato de trabalho exigiria alteração na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), por meio de lei ordinária. Pela legislação atual, esse intervalo de treinamento, no qual o trabalhador recebe a bolsa-qualificação, é de cinco meses.

Fonte:Zero Hora

Lula não vê motivo para demissões

  1. Pedro Lupion disse:

    Não, imaginem. É só uma marolinha! Não há crise. Crise é coisa da imprensa marrom. Por que não te calas, Lula?

  2. David nomero De Macedo disse:

    Lula fala com sindicalista, por que ele foi um,mas entende muito pouco de administração empresárial, ser presidente não dar-lhe o direito de querer ser um bom administrador,governo recebe de imposto e não produz, mas recolhe, por isso ele não ver motivo para demissões,esse é o ponto de vista dele(recolhedor). O empresário ver diferente(pagador de impostose e tributos trabalhistas) que não são perduados por seus empregados e nem por governo(quando não é sacaneado na justiça) tem como obrigação o controle de sua dividas para não chegar a falência.Empresa tem de poduzir se quizer sobreviver, governo almenta imposta para poder bater sua contas, a diferença e muito grande,um tem de produzir o outro tem de exigir.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.