Lossio minimiza polêmica sobre doação de terreno a call center: “Nunca fui contra”

10

Julio Lossio_640x426O prefeito de Petrolina, Julio Lossio (PMDB), minimizou a polêmica acerca de um projeto de lei, de autoria do Executivo Municipal, que propõe a doação de um terreno público onde se localiza o antigo Colégio Motiva para uma empresa de call center.

Após a solenidade de posse do novo superintendente da 3ª Regional da Codevasf, João Bosco, realizada ontem no Senai, Lossio comentou o assunto a este Blog. Segundo o prefeito, as críticas que fazia a gestões passadas não era a prática de doar terrenos. “O que eu disse é que é ruim doar terreno, e depois pegar parte desse terreno e botar no nome da família. Isso é o que eu criticava”, frisou.

Tal prática, lembra ele, foi feita com a doação de uma área pública onde se construiu o River Shopping (na primeira gestão do ex-prefeito Fernando Bezerra Coelho). “Acho que foi acertadíssimo doar o terreno para fazer o River Shopping. Errado foi o que foi feito depois com o terreno, que colocaram em nome da família e outras áreas que eram públicas. Isso é o que eu acho errado”, disse Lossio.

Perguntado se pretende reverter essa prática, o prefeito argumentou que isso não cabe a ele, mas ao Ministério Público Federal (MPF), o qual já recebeu, inclusive, uma denúncia da Câmara de Vereadores. “Não sou Polícia, nem Ministério Público Federal. Só estou dizendo que acho errado”, pontou. Lossio justificou que no momento está pensando é na geração de 3 mil empregos que o call center vai possibilitar em Petrolina, daí sua decisão de doar o terreno do antigo Motiva.

O prefeito acredita também que o valor estimado da área a ser doada (R$ 10 milhões) é perfeitamente plausível, já que o Governo de Pernambuco doou um terreno de R$ 100 milhões para a instalação de uma fábrica em Goiana para gerar o mesmo número de empregos que o call center. “Na geração de empregos, se justifica sim que a gente seja um facilitador”, ratificou Lossio, acrescentando que a cobrança de 3% do ISS à empresa compensará a decisão da prefeitura. “Se você fizer a conta desses 3%, em muito pouco tempo estará com recursos voltando pro município”, completou. Sobre o fato de a bancada governista se dividir sobre o projeto, o prefeito foi categórico: “faz parte da democracia, não sou dono de ninguém. Todos os nossos vereadores tem o direito de opinar, de discutir, de avaliar. Nunca me neguei. Inclusive quando a oposição quis fazer uma CPI na Câmara, eu disse para a minha bancada assinar. Penso que a democracia é isso”.

10 COMENTÁRIOS

  1. Esse Prefeito ta substimando a inteligencia do podo de Petrolina, Porque ele fala que o Governo de Pernambuco doou um Terreno… Mas o Prefeito de Petrolina fala em Terreno e ali na Verdade onde era O Colegio Motiva é um Predio avaliado em 10 Milhões de Reais…. Porque o Prefeito não acaba com os alugueis que vem pagando pra as Creches Nova Semente e aproveita o espaço do antigo Motiva e centraliza todas as creches da Cidade…. E colocaria trasporte escolar pra todos os bairros da Cidade sairia mais barato pra o municipio…. VERGONHA ESSE PREFEITO NA ADMINISTRAÇÂO MUNICIPAL…….

    • O shopping é um investimento particular e foi contemplado com doação de terreno. É a relação custo/benefício. Praticamente paga-se o terreno com a geração de emprego e impostos. Uma empresa ali vai valorizar o bairro e afastar os malfeitores, além de oferecer emprego e renda para muitos. Deixa de colocar obstáculo no progresso da cidade.

  2. Essa campanha contra a vinda do call center vai acabar fazendo com que a empresa pule para o outro lado do rio. Será que é isso que vocês querem? Que Petrolina deixe de gerar 3000 empregos para os jovens petrolinenses? Tenho certeza que os vereadores aprovarão a doação para o bem de nossa cidade. Só lembrando quena lei municipal tem uma cláusula de reversão caso a empresa feche e vá embora, fazendo com que o terreno volte ao município.

    • Sanfranciscano, se essa empresa pular para o outro lado do rio, irá mostrar que não é uma empresa séria, anda atrás só de vantagens para o seu bolso e ganhar um ótimo bem imóvel numa área nobre da cidade. Traduzindo: Picareta!
      Vamos ter cuidado com o canto da sereia. Porquê em um investimento particular o município tem que participar, tem que se desfazer de patrimônio?
      Quem é empresário de verdade, não anda atrás dessas coisas não. Vai lá, financia seu projeto, se não tiver capital próprio, implanta e vai seguindo a vida.

  3. eu só acredito vendo nessa geração de empregos tão fantastica.. esse prefeito parece estar em outro mundo, o governo do estado doou uma area para uma empresa séria até agora eu num ouvi falar de onde veio nem para q serve essa cal center derrepente estou desatualizada… mas por favor prefeito seja claro com o povo e explique do q se trata pq do jeito q vai ninguem vai aceitar e se tiver q ir para juazeiro já vai tarde…em vez de querer fazer mega empresa pq não revitaliza o nosso distrito industrial? q ta lá cheio de escuridão e perigos constantes… pare de vender nosso patrimônio júlio lossio venda o q é seu….

    • O distrito industrial pertence ao governo do estado, não a Prefeitura! A Fiat pode muito bem ter-se instalado ás custas do governo do estado por pura maracutaia! Afinal se estamos falando em apoio a instalação de indústrias e geração de empregos, a prefeitura pode muito bem contribuir com a empresa de call center, doando o prédio como incentivo, já que está abandonado! 3 mil empregos vale muito a pena!

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome