Justiça Eleitoral acata ação de violência de gênero contra Marília Arraes

por Carlos Britto // 21 de outubro de 2022 às 16:32

Foto: Alexandre Aroeira/Folha de PE

O Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) acolheu ação apresentada pelo jurídico da candidata ao governo do Estado, Marília Arraes (SD), no que se configura o primeiro caso reconhecido pelo Judiciário como violência política contra a mulher. A desembargadora Virgínia Gondim Dantas intimou o ex-assessor do deputado federal Daniel Coelho, coordenador de campanha da candidata Raquel Lyra (PSDB), Mateus Souza, sobre um vídeo postado em perfis no Instagram ligados à Bolsonaro, onde Marília foi comparada a um “picolé de menstruação”.

Além do aliado de Daniel Coelho, o policial militar Maxwell Souza também foi citado pela Justiça Eleitoral pelas ofensas a Marília Arraes.

De acordo com a decisão da Justiça Eleitoral, foram usados termos pejorativos e depreciativo contra a candidata, caracterizando estímulo à discriminação em função do sexo feminino, como mostra a transcrição: “Você tem um picolé de menstruação, que é a Marília Arraes. Eu não chupo picolé de menstruação, e você?!”.

Para a desembargadora, o comentário se caracteriza como uma “forma depreciativa de referência à candidata Marília Arraes a sua condição de mulher/candidata, não podendo sequer ser enquadrado como direito de crítica, na medida em que não traduz apreciação e avaliação de sua atuação ou de comportamento, não tendo sido emitido juízo racional de valor, mas tão somente a colocando como um picolé de menstruação”.

Agora, os representados têm até dois dias para apresentar a defesa. Após o prazo, o Ministério Público será citado e, em até dois dias, deverá se manifestar.

Justiça Eleitoral acata ação de violência de gênero contra Marília Arraes

  1. Luiz disse:

    Estão apelando de todo jeito. Mas é isso mesmo, quem não tem propostas, tem a complacência do sistema.
    .

  2. Irineu disse:

    Fds, petezada.

  3. Maria Aparecida da Silva disse:

    Esses são o que apoia a Raquel e a tira colo vem o Bozo,são pessoas desse tipo que querem botar no poder e pior é ver mulheres apoiando esse absurdo, mulher que se presa respeita o próximo,sua opinião, religião, credo e opção sexual.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.