Julio Lossio Filho reforça que trabalhará para reduzir desigualdades: “Petrolina não pode ser melhor apenas para amigos do prefeito”

10
Foto: Blog do Carlos Britto

Filho do ex-prefeito Julio Lossio, o jovem advogado Julio Lossio Filho (PSD) tem na ponta da língua sua principal plataforma política, caso se torne prefeito de Petrolina nas eleições de 15 de novembro próximo. Reforçando o que já havia dito no lançamento de sua candidatura, a meta de ‘Julinho’ – como é carinhosamente conhecido – é reduzir as desigualdades sociais na principal cidade do Sertão pernambucano.

Nossa cidade é linda, forte, pujante e desenvolvida, que cresce a cada dia, mas que ainda é muito desigual. Temos poucas pessoas com muito e muitas ainda com pouco (…) o que precisamos fazer é repartir esse desenvolvimento, fazendo com que o progresso da cidade chegue a todos. Petrolina não pode ser melhor apenas para os amigos do prefeito”, afirmou, em entrevista a este Blog.

Segundo o candidato, ainda há problemas relevantes a serem sanados, a exemplo da falta de saneamento básico e de saúde. “Estima-se que em sete anos nossa população ultrapasse a de Campina Grande (PB). Então, a gente precisa estruturar a cidade para que possa se adequar às necessidades da população, e não apenas e tão somente com infraestrutura, que é muito importante, mas sobretudo com qualidade de vida, de ter saúde e educação de qualidade”, ponderou.

Perguntado sobre uma máxima do seu pai, quando governou Petrolina por dois mandatos, de que a cidade é uma da Avenida Sete de Setembro para dentro, e outra da Sete de Setembro para fora, o candidato lembrou que Lossio procurou cuidar dessa segunda parte, mas o cenário não mudou até hoje. “Essa desigualdade é histórica e não foi ainda resolvida. É claro que a gente precisa cuidar da Sete de Setembro para dentro, mas sobretudo a gente precisa cuidar do cidadão e da cidadã da Sete de Setembro para fora, que ainda sofrem por falta de políticas públicas essenciais”, frisou.

Julinho descartou comparações com o atual momento ao da época em que seu pai foi prefeito, uma vez que as demandas e necessidades da população são bem diferentes da de quando Lossio assumiu a gestão, em 2009. “Tínhamos, por exemplo, um déficit habitacional e de creches gigantesco, tínhamos uma educação muito fraca. Graças a Deus a gente pôde avançar muito nessas áreas. O que a gente precisa é saber da realidade da Petrolina de hoje e trabalhar para construir a Petrolina de amanhã. Não existe essa de dizer que serei uma continuidade (do governo do seu pai). É um novo governo, um novo olhar, são novas demandas e novas soluções a serem apontadas”, argumentou.

Nova Semente

Sobraram críticas também para o atual prefeito e candidato à reeleição, Miguel Coelho (MDB), quanto ao alardeado Programa Nova Semente, implantado no Governo Lossio. Segundo Julinho, o atual gestor não manteve sua promessa de campanha, em 2016. “Ele afirmava que o Nova Semente iria continuar, que seria de graça e que seria ampliado. Nenhuma nova unidade foi aberta, o tempo integral foi reduzido, as crianças que eram recebidas aos seis meses, agora são apenas com um ano. Foram fechadas mais de 100 unidades, demitidas mais de 1.500 mulheres. Então, hoje a gente não tem um Nova Semente. Tem um arremedo do que era o programa”, alfinetou.

Caso seja eleito, Julinho disse que pretende retomar a iniciativa no seus antigos moldes, reabrindo unidades fechadas, ampliar o programa e voltar com o tempo integral, “porque se a função da creche é cuidar da criança enquanto a mãe trabalha, você não pode ter crianças que não passem o dia todo na creche”. Ele acha, no entanto, que a questão da gratuidade é “prego batido e ponta virada”, até pelo fato de a nova lei do Fundeb, aumenta a quantidade de recursos destinado à primeira infância. A proposta do candidato é lançar o ‘Nova Semente Melhor’, requalificado e ampliado.

Saúde

O candidato oposicionista disse que em suas caminhadas pelos quatro cantos da cidade, a principal queixa é a saúde pública, pelo fato de a atual gestão adotar um modelo que esqueceu as AMEs e retomou a construção de postos de saúde, mas não se preocupou em contratar médicos nem adquirir medicamentos para os usuários. Julinho também seguiu na mesma linha quanto à educação, que para ele “não tem gestão” e decaiu na qualidade, se comparada com o Governo Lossio. Ele disse ver um ponto positivo na atual gestão no que diz respeito à zeladoria da cidade, mas não se pode priorizar pavimentação e rotatórias em detrimento, por exemplo, dos recursos humanos. “Tivemos o Sindicato dos Médicos se queixando porque a prefeitura não está pagando a insalubridade dos médicos”, criticou.

Pesquisas

A exemplo de Dr.Marcos Ortopedista, Julinho também minimizou a divulgação de pesquisas apontando um amplo favoritismo do atual prefeito. Segundo o candidato, o guia de rádio e TV ainda nem começou. “A partir do momento em que as pessoas forem conhecendo nossas propostas, elas vão entender o nosso projeto e caminhar com a gente para fazer uma Petrolina melhor”, pontuou. Ele voltou a assegurar que sua campanha será propositiva e restrita “ao campo das ideias”.

10 COMENTÁRIOS

  1. Lamento dizer isto tem um bando de amigos do prefeito do passado todos ricos estavam lascados saíram todos chamados de doutor só porque meteram a mão no dinheiro público, não quero dizer que neste também não tem, tá cheio, só quem se lasca são eleitor besta que ficam idolatrando político.

  2. O menininho de papai o que tem de “pescocinho grosso” tem de hipocrita e demagogo.
    Sabe mais do que todo mundo que ta nessa campanha pra levar um fumo do tamaho de um VLT, porque ta visando apenas um cargo de deputado federal, seu sonho de criança mimada ja que sempre dizia que vereador nao estava a sua altura.

  3. Sempre foi assim esse coisado, tudo que faz ou fala, é um vexame, e a vergonha da surra que vai levar vai ser bom pra aquietar o facho e voltar pra sua insignificância e sumir!!!!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome