Julgamento simbólico de Lampião em Petrolina lota Centro Cultural Dom Bosco

6
(Foto: Reprodução/Instagram)

Começou às 8h de hoje (31) em Petrolina o julgamento do cangaceiro mais famoso do Sertão. O Centro Cultural Dom Bosco, no Centro da cidade, é o local do Júri Épico Histórico, que ocorre até às 19h. A transmissão é feita ao vivo pela rede social Instagram (@jurihistorico.pnz) para atender ao público que não está inscrito no evento.

O Júri Épico é um projeto acadêmico e tem o objetivo de integrar a Ciência Jurídica a outras disciplinas, além de transportar o público à década de 30, para presenciar como seria o julgamento de Lampião. O evento é dividido em duas partes: no primeiro momento ocorrem os interrogatórios das testemunhas, tanto de defesa quanto de acusação e do ‘Capitão’ Virgulino.  Já no segundo a Promotoria e a defesa realizam os debates.

O mistério sobre quem seriam os jurados foi desvendado. Eles foram escolhidos dentre os participantes presentes, por meio de sorteios realizados pelo número de sua inscrição, fato que gerou grande alvoroço e surpreendeu a todos no local. Pensando no quesito da acessibilidade para as pessoas presentes no evento, a comissão organizadora trouxe os intérpretes de Libras Ramon Gonçalves, Valdir Ligo e Maria da Conceição Soares, que garantirão a informação ao público surdo.

Repercussão

Especialistas, tanto em História do Cangaço quanto da Área Jurídica, vieram de outros Estados como Bahia, Sergipe e São Paulo, para prestigiar o Júri Histórico. A repercussão do julgamento do Rei do Cangaço despertou a curiosidade do “Fantástico”, da TV Globo, que realiza uma cobertura jornalística especial.

A presença de Maria Bonita, companheira do cangaceiro, também centraliza as atenções do público, o dividindo entre a figura do Lampião herói e do Lampião bandido.  Outro motivo de destaque são os trajes épicos usados pelos participantes, que priorizaram as vestes típicas do cangaço. Até o final, o evento promete muitas surpresas.

O Júri Épico é um projeto idealizado pelo professor Anderson Wagner Araújo e pelo promotor criminal de Petrolina, Fernando Della Latta, em parceria com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PE), Ministério Público de Pernambuco (MPPE), Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina (Facape) e a Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC).

6 COMENTÁRIOS

  1. Não vejo razão para esse evento, tantos processos para serem julgados e o judiciário juntamente com o ministério público se focam em uma coisa dessa.
    Nas ruas ou nas cadeias exitem pessoas que precisam desse aparato , não vou dizer que isso é o espelho da ociosidade porque não é .
    Aí na frente desse teatro existem todos os dias pessoas precisando do trabalho de vocês nobres juízes , promotores , advogados e membros da sociedade civil.
    Abre o olho Petrolina a cidade precisa de ação , precisa de justiça de verdade para o olhos do povo e não de uma mera ficção para agradar os anseios de uma pseudo nobreza.

  2. Lampião é uma figura folclórica que aconteceu num momento em que o sertanejo era a principal vítima da indústria da seca. Lampião foi um Robin hood brasileiro que fazia a justiça acontecer numa região pobre e faminta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

5 + nove =