Juazeiro é a primeira cidade do interior da Bahia a ter monitoração eletrônica para presos em regime semiaberto; mais de 50 detentos serão beneficiados

1
Luís Antônio Fonseca e Júlio César Ferreira Santos, representantes da Secretaria de Administração Penitenciária da Bahia. (Foto: Blog do Carlos Britto)

Juazeiro é a primeira cidade do interior da Bahia a ter o sistema de monitoração eletrônica para presos em regime semiaberto domiciliar. Para marcar a implantação do sistema na cidade, amanhã (9) ocorrerá um evento no Fórum Conselheiro Luiz Viana, na área central de Juazeiro, às 14h, onde o juiz Roberto Paranhos concederá as decisões aos 52 detentos que serão beneficiados.

Além da equipe do Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA), estarão presentes o diretor do Conjunto Penal de Juazeiro, Manoel Tadeu; o  superintendente de Ressocialização Sustentável da Bahia, Luís Antônio Fonseca; o superintendente de Gestão Prisional da Secretaria de Administração Penitenciária do estado (Seap), major Júlio César Ferreira Santos; a coordenadora da Monitoração Eletrônica na Bahia, Edna Aquino; e uma equipe da Secretaria de Administração Penitenciária do estado (Seap).

Esses presos já têm autorização, são do regime semiaberto. Eles estão sendo reintegrado à comunidade, pois já cumpriram boa parte da sua pena e têm emprego. Agora vão fazer isso [trabalhar e estudar] sem a necessidade de retornar ao Conjunto Penal de Juazeiro”, explica Júlio César, em entrevista do Programa Carlos Britto, na Rural FM (103,1).

Para Luís Antônio Fonseca, esse número de detentos beneficiados representa esforços. Ele destacou que esses detentos terão acompanhamento. “Esse número representa esforços, porque movimenta toda uma coordenação, toda a Secretaria de Administração Penitenciaria para esse fim. É um esforço coletivo dos órgãos de defesa social. Essas pessoas estão em semiliberdade. Na prisão, eles tiveram acompanhamento psicossocial. Queremos devolver esses cidadãos melhor do que eles entraram. Essas pessoas terão acompanhamento, serão emitidos relatórios mensais”, ressalta o superintendente de Ressocialização Sustentável da Bahia.

Parceria

Júlio César e Luís Antônio destacam a parceria com as polícias Civil (PC) e Militar (PM), Guarda Municipal, Ministério Público, TJBA e Defensoria Pública do estado. Por fim, apelaram que a sociedade receba bem esses detentos. “A gente faz um apelo para que essas pessoas sejam bem recebidas pela população. Vão para o trabalho, depois vão para suas residências. Só vão para a rua porque estão trabalhando”, finalizou o superintendente de Gestão Prisional da Seap.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome