Joel da Harpa vê oposição fortalecida para disputa estadual em 2022 e credencia Miguel Coelho e Anderson Ferreira

0

O Partido Progressistas (PP), presidido em Pernambuco pelo deputado federal Eduardo da Fonte, integra a base do governador Paulo Câmara (PSB) na Assembleia Legislativa (Alepe). Apesar disso, o deputado estadual Joel da Harpa (PP) sempre deixou às claras sua “postura independente” em relação ao Palácio do Campo das Princesas. E ratifica esse posicionamento ao demonstrar otimismo com as articulações da oposição rumo às eleições 2022.

Em entrevista ao Blog, Joel da Harpa lembra que em 2018 o grupo oposicionista que havia lançado mais uma vez o então senador Armando Monteiro Neto (ex-PTB e atual PSDB) estava fragilizado, o que permitiu a reeleição de Paulo Câmara. Mas, segundo o parlamentar progressista, 2022 será bem diferente.

Joel citou os nomes dos prefeitos de Petrolina, Miguel Coelho (MDB), Anderson Ferreira (PL), de Jaboatão dos Guararapes, e Raquel Lyra (PSDB), de Caruaru. “Penso que essa oposição começa a se organizar e se fortalecer mais, e esperando o posicionamento do próprio governo federal, que tem hoje um peso muito forte a nível de Pernambuco”, pontuou.

O deputado frisou que tem se colocado à disposição, ouvindo todos os possíveis protagonistas do grupo oposicionista, e destacou em especial a proximidade com Anderson, uma vez que mantém uma relação de amizade com a família Ferreira em Jaboatão. Porém Joel ressaltou que todos os cotados para a disputa majoritária no Estado tem amplas condições de fazer uma boa campanha em 2022 e interromper a hegemonia socialista no Estado. “Eu penso que o poder precisa ser alternado. O PSB já está no poder há 16 anos, já cumpriu seu papel e entendo que está chegando a hora desse poder alternar para termos novos horizontes e novos políticos fazendo o trabalho à frente do governo do Estado”, avaliou.

Candidaturas

Para Joel, a oposição precisa ter mais de uma candidatura majoritária no primeiro turno, até para não incorrer no mesmo erro de 2018. Por este motivo, ele não vê problemas em que isso aconteça. O detalhe é definir qual dos três jovens prefeitos abririam mão de seus mandatos para entrar no jogo estadual. Segundo o deputado, tanto Anderson quanto Miguel têm condições de aparecer com muita força numa disputa em segundo turno.

Por Antonio Carlos Miranda 

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

três + três =