Irmãos Maviel e Maciel Melo encerram com chave de ouro 2º Flisertão

por Carlos Britto // 25 de julho de 2022 às 07:57

Fotos: Deivid Menezes/Ascom PMP SEDUCE

A 2ª edição do Festival Literário do Sertão do São Francisco (Flisertão), em Petrolina, foi encerrada no último sábado (23), em grande estilo, no polo do Centro de Convenções Senador Nilo Coelho, com as apresentações dos irmãos Maviel e Maciel Melo. Foram cinco dias de intensa programação recheada de oficinas, shows, performances artísticas, lançamento de livros de escritores locais, mesas redonda, feira de livros, palestras, atividades para o público infantil no Parque Josepha Coelho e eventos satélites – entre outras atividades.

O evento emocionou, divertiu e estimulou o conhecimento de estudantes, professores e toda a população. Além da sede, a zona rural do município também recebeu parte da programação do Flisertão.

No centro de convenções, no último dia, o  poeta, cantor, cordelista e compositor Maviael Melo levou para o palco várias canções, poesias, declamações, contações de histórias e muita alegria. Em seguida, foi a vez do ‘caboclo sonhador’ Maciel Melo embalar o público com clássicos da música nordestina.

A advogada Patrícia Souza aproveitou o sábado para levar toda a família ao Festival e destacou a importância do evento para o Vale do São Francisco. “O Flisertão celebra o universo literário e a formação de leitores. É um evento com o objetivo de formar cidadãos conscientes, tocados pela literatura e todas as suas formas de manifestação. Além disso, valoriza os escritores locais e outras performances artísticas que puderam tornar seu trabalho mais conhecido do público, contribuindo não só para a sua formação, como também somando esforços no sentido de distribuir acesso à cultura“, avaliou.

Secretário

O secretário de Educação, Cultura e Esportes, Plínio Amorim, aproveitou o momento para agradecer a toda a equipe da SEDUCE, que foi essencial para que o evento se tornasse um sucesso. Ele também expressou seu sentimento de dever cumprido com a realização do festival. “O Flisertão ultrapassou todas as expectativas. Eu fiquei encantado com o que eu vi no Parque Municipal, fiquei encantado com as escolas com o Pé de Livro, com as ações culturais, com o número de autores inscritos. Petrolina nasceu para ser grande, não é à toa que aqui é a terra dos impossíveis, pois aqui o impossível acontece. O Flisertão veio para ficar, agora faz parte do calendário anual de Petrolina e a gente vai fazer as próximas edições ainda melhores“, finalizou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.