Integrantes do MST ocupam sede do Incra em Petrolina e fazem reféns

15

MSTCerca de 50 integrantes do Movimento Sem Terra (MST) estão acampados na sede do Incra em Petrolina, na Avenida da Integração, desde o fim da manhã desta segunda-feira (15). A maioria das famílias é de Santa Maria da Boa Vista (PE), no Sertão do São Francisco, e está no local com colchões, roupas e utensílios de cozinha. A ideia é ficar no prédio até uma negociação com a gerência regional do instituto.

As famílias também aguardam um posicionamento do Governo Federal acerca de algumas reivindicações em nível nacional, já que a mobilização acontece em todo o país.

No início da ocupação, alguns integrantes do movimento ainda tentaram impedir a saída dos servidores do Incra. A Polícia Federal foi acionada e negociou a questão com os manifestantes, alegando que os funcionários devem exercer o direito constitucional de ir e vir.

15 COMENTÁRIOS

  1. Lamentável atitude de poucas pessoas que adentraram no INCRA munidos de arma branca, facão e foice. Não se dialoga dessa maneira, não se consegui pensar pressionado desse jeito as coisas terminam saindo mal feitas e os primeiros que pagam pela baderna são os trabalhadores.

  2. Reféns, refém é o pobre do assentado ou agricultor como digam ou entendam, refém desse órgão federal cheio de picaretas que em vez de fiscalizar a aplicação dos recursos fizeram formação de quadrilhas com lojas de materiais de construcao e construras desqualificadas com o único intuito, roubar. Como é fácil para a sociedade dizer que sem terras são desonestos e vivem comendo mole do governo, primeiro que a reaforma agraria no século XXI não passa de heresia, heresia essa causada pela falta de educação ai entao dominou o latifúndio: como pode em plena era da velocidade vemos criaturas que mais parecem zumbis, disfigurados, enquanto diversos fingidos funcionários milionários e todo mundo sabe e qual é a providencia. Lá em Brasília, com certeza deve haver diversas vozes feche o INCRA e eu digo demitam os corruptos e deixem a instituição porque dela precisa o pobre e não uns funcionário que fezieram concurso e juraram defender e não o faz.

    • Antonio Paulo,
      recomendo: se você tem provas de irregularidades ou crimes na aplicação do dinheiro público por parte do INCRA informe ao gabinete da Superintendência do INCRA em Petrolina e depois faça um boletim de ocorrências na Polícia Federal ou no Ministério Público Federal. Agora não generalize, exitem funcionários públicos ingressados no INCRA SR-29 que possuem dever e honra.

      • Caro Leonardo, me paresse que você não trabalha no INCRA, e se trabalha ou é surdo ou doido e também não estou generalizando, mais se você se sente atingindo resolva denunciando a CGU, alias eles estiveram aí faz poucos dias. Agora querer culpar o MST pelos desmandos interno dessa instituição, me poupe e veras o fim de órgão que deveria defender os menos favorecidos.

    • Recomendo se informa melhor antes de sair escrevendo um bocado de bobagens. Eu trabalho lá, conheço a coisa de dentro e posso falar com conhecimento de causa:
      1. A maioria nem agricultor é; são recrutados na periferia para essas invasões;
      2. Quase todos os desvios são orquestrados por lideranças desse movimento corrupto que se diz social. Desvio de créditos, casas superfaturadas que nem sequer são construídas, falcatruas na assistência técnica…
      3. A maioria dos cargos de direção são ocupados por gente que não é da casa, a maior parte com ligações com esse funesto movimento;
      4. Você acusou toda uma classe de servidores honestos que pessimamente remunerados e que vêem o órgão sendo lançado na lama da opinião pública devido à uma política com a qual não concordam e que lhes é empurrada goela abaixo pelos manda-chuvas lá de Brasília (que são indicações desse governo mentiroso com o aval desses movimentos que exploram quem não tem nada…)
      Sugiro deixar esse idealismo de lado e entender que existem inimigos a se combater tão ou até mais poderosos que o latifúndio

    • Ah… e se você não sabe, teve gente que ficou lá dentro impedidos de sair. Em invasões anteriores até ameaça com foices e facões já ocorreram. Sugiro sensatez para deixar a ideologia (ultrapassada, por sinal) para entender que reivindicação é diferente de desordem e vandalismo. Se você estivesse lá ontem veriam pessoas caminhando por cima do teto de carros oficiais (que custaram o dinheiro do meu e do seu imposto) fora outros prejuízos que já ocorreram nesse tipo de invasões. Com relação à reforma agrária, o modelo é falido e totalmente inapropriado à realidade regional do semi-árido.

  3. Esses MST não nasceram ontem, estão chegando de onde ? Como e onde viviam antes ? E hoje estão sendo oportunistas reclamando direitos. Quem faz reféns comete crime, crime grave mas se for movimento social não conta ?

  4. VIVA O PT E O GOVERNO DILMA. QUEM LEMBRA DO LULA QUE DIZIA QUE RESOLVERIA O PROBLEMA DA REFORMA AGRARIA NUMA CANETADA SÓ??? A caneta serviu para outros propositos, como manter-se no poder a qualquer negociata.

  5. ESSE POVO ESTÃO COM A MENTE NO TEMPO DA PEDRA LASCADA……………….ÉEEIIII PESSOAL DO LANCHE OU MASSA DE MANOBRA, SERÁ QUE VCS NÃO ENXERGAM?????VCS ESTÃO SENDO USADOS, SÓ ISSO E NADA MAIS QUE ISSO.

  6. Não sei onde esse povo OPORTUNISTA encontra apoio! Cometem saques,invasões e mantém reféns sob seu domínio e nada acontece, isso tudo é CRIME
    Certa vez presenciei um ataque do MST a um caminhão de um Sr. que transportava feijão para Santa Maria da Boa Vista, onde utilizando-se de forte ameaça levaram tudo deixando o homem chorando a margem da estrada, onde ouvi ele falar que aquela era toda a colheita de sua lavoura.
    Fiquei muito indignado com aquilo, porém como muitos outros que estavam ali parados na BR em meio aquele “BANDO” armados com faca, facões e foices onde nada podemos fazer, além indignar-se!

  7. os trabalhadores estão cansados de serem enganados por essa estrutura sucateadas e falida do INCRA e as poucas migalhas vem para os trabalhadores a metade fica na mãos dos poucos
    corruptos do INCRA

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome