Instituições e polícias atuam no combate a crimes contra crianças e adolescentes em Lagoa Grande

0
(Foto: Divulgação)

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) se uniu com as Polícias Civil (PC) e Militar (PM) e com o Conselho Tutelar de Lagoa Grande (Sertão do São Francisco) para realizar, no último final de semana, a Operação ‘Lagoa Grande Pacífica’. A ação, que contou com blitzes educativas e fiscalização na área urbana e no povoado de Vermelhos, teve como resultado duas notificações do Conselho Tutelar aos responsáveis por crianças e adolescentes encontrados em situação de risco, 31 notificações por infrações de trânsito e o recolhimento de 22 motos e um automóvel.

Segundo o promotor de Justiça Filipe Regueira, a operação foi pensada para reprimir situações de risco a crianças e adolescente identificadas pelos conselheiros tutelares, como a prática de venda ou fornecimento de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos, tráfico de drogas, prostituição infantil e condução de veículos por adolescentes.

Durante a fiscalização, as equipes localizaram um homem fornecendo bebida alcoólica para uma adolescente em um local identificado como ponto de prostituição infantil. Ele foi autuado em flagrante e encaminhado à polícia, enquanto a jovem foi encaminhada para a família. Os conselheiros tutelares autuaram o responsável por ela.

Outra atividade da fiscalização consistiu em inspecionar bares e casas de festas. “Conversamos com os proprietários para orientá-los sobre a proibição de acesso a menores de 18 anos e que a venda ou fornecimento de bebidas alcoólicas e outras substâncias a esse público é crime. Eles também foram avisados de que os conselheiros tutelares farão um acompanhamento constante nos estabelecimentos”, relatou Filipe Regueira.

Trânsito

Em relação às infrações de trânsito, o trabalho enfocou a avenida principal do povoado de Vermelhos, onde, segundo informações do Conselho Tutelar, é comum ver jovens conduzindo motocicletas sob efeito de álcool, sem capacete e fazendo manobras perigosas. “O Conselho Tutelar apresentou as irregularidades à Promotoria de Justiça e nós articulamos essa ação, em parceria com a 7ª Companhia Independente de Polícia Militar e a Delegacia de Lagoa Grande. Foi uma operação muito bem sucedida e que, certamente, deverá acontecer mais vezes”, destacou o promotor de Justiça.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome