Homenagem a Dr.Pérsio acaba em troca de farpas com Cristina Costa

0

cristina-e-persio

Um projeto de Decreto Legislativo de autoria do vereador Pedro Fillipe (PSL), propondo a entrega da Medalha de Honra ao Mérito Dom Malan ao seu colega, Dr. Pérsio Antunes (PV), descambou para uma discussão feroz entre o homenageado e a vereadora Cristina Costa (PT). O episódio aconteceu durante sessão plenária de ontem (24) na Casa Plínio Amorim.

A gota d’água foi o fato de Cristina decidir se abster de votar o projeto de Fillipe. Em princípio seu companheiro de partido, Geraldo da Acerola, também ensaiou boicotar a homenagem porque Pérsio foi o único a votar favorável ao parecer jurídico da Casa Plínio, que considerava inconstitucional seu projeto de lei obrigando as empresas de ônibus a manter o cargo de cobrador no transporte coletivo de Petrolina. Pérsio justificou que não iria respaldar “uma ilegalidade”. Apesar disso, Geraldo votou a favor da concessão da medalha. Cristina não.

Visivelmente irritado, Pérsio criticou duramente os dois representantes do PT na Câmara Municipal, sugerindo que ambos levam para o campo pessoal questões que deveriam ficar apenas no campo político. “Não preciso da medalha votada pelo PT. Isso me enoja. O problema é que quando a gente é legalista e vai contra os princípios de uma quadrilha de um partido, que está presa por roubo e saque aos cofres públicos, aí vão contra a minha pessoa”, disparou.

A resposta da petista foi no mesmo nível. Primeiro, Cristina disse que já tinha manifestado desde a semana passada sua decisão de não respaldar a homenagem a Pérsio, independente do projeto de Geraldo. “Não vou ser falsa e conceder uma honraria a quem nunca teve honra nesta Casa”, alfinetou a vereadora.

Empréstimos

Cristina foi ainda mais longe. Segundo a vereadora, se existe uma quadrilha na Casa Plínio Amorim, está no gabinete de Pérsio, que não teria honrado com empréstimos tomados por seus assessores. “Estamos proibidas de tomar empréstimo na Caixa Econômica Federal porque Vossa Excelência não pagou os ‘pregos’ dos seus assessores”, afirmou.

Indignado, Pérsio contestou veementemente a versão de Cristina. Ele disse que a petista “esqueceu-se” de informar que o representante do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), promotor Lauriney Lopes, já tinha solicitado ao presidente da Casa, Osorio Siqueira, informações sobre empréstimos de todos os servidores que trabalhavam nos gabinetes dos vereadores, porque havia a suspeita de que esses empréstimos seriam para os próprios vereadores. Do gabinete de Pérsio foram chamados dois funcionários, os quais haviam tomado empréstimos para eles mesmos. “Até agora não foi imputada a mim nenhuma responsabilidade, porque o vereador autoriza que o funcionário vá ao presidente, para que o presidente autorize a Caixa a conceder o empréstimo”, explicou.

Após a celeuma, Cristina fez questão de ressaltar que não tinha se referido aos atuais servidores que trabalham com Pérsio, mas aos que fizeram parte dos 60 exonerados recentemente pelo presidente Osório Siqueira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome