História da capoeira em Juazeiro será destaque de websérie

por Carlos Britto // 26 de julho de 2021 às 21:35

Foto: divulgação

A trajetória da capoeiragem na cidade de Juazeiro (BA), das rodas de rua dos anos 60 até as configurações dos dias atuais, contada a partir das experiências e vivências dos mestres Butica, Marreta e Deca. Essa é a proposta da websérie ‘Mandinga na Beira do Rio’, que já está com seu primeiro episódio disponível no YouTube e no Instagram do Projeto Malê (@projetomale), coletivo de educação artística nascido nas cidades ribeirinhas de Juazeiro e Petrolina (PE).

Nesse primeiro episódio, intitulado ‘Nascido na beira do rio’, trazemos a história de Mestre Butica, que dedicou parte de sua vida à capoeiragem. Ele conta sobre o início da sua trajetória na capoeira, por volta dos anos 60, como também da experiência em ter sido o primeiro mestre em Juazeiro“, conta Mayane Santos, jornalista juazeirense que assina a direção e o roteiro da websérie.

No segundo episódio – ‘No passo da avenida’ -, Mestre Marreta fala da participação dos capoeiras no carnaval juazeirense, nos desfiles das escolas de samba e sobre o preconceito. O processo de formalização da capoeiragem, com a inserção do movimento nas academias, é tema do episódio 3, “A ‘evolução’ da capoeira”, com Mestre Deca. Por fim, os Mestres estarão reunidos em ‘A força dos antigos’, numa conversa sobre a atuação do poder público junto às culturas populares. Esses próximos episódios serão liberados, respectivamente, nesta terça (27), quinta (29) e sábado (31), sempre às 20h.

‘Mandinga na beira do rio’ nasceu em 2019, a partir de diálogos realizados juntos à mestres antigos do município. À época, o Projeto Malê produziu um episódio piloto sobre a história do Mestre Botica, apesar dos escassos recursos que o coletivo tinha disponível. A produção, que é inédita na região do Vale do São Francisco, visa também a contribuir para o registro da memória da capoeira local, já que há uma escassez de conteúdos que registrem a historicidade do movimento.

A oralidade se mantém presente, mas até hoje não existe nenhum material audiovisual dessas figuras e várias outras que a gente buscou pesquisar. Priorizamos a questão da idade e partimos então desses três personagens mais antigos. Com a Aldir Blanc vimos a possibilidade de dar esse ponta pé com esses três nomes, mas deixando abertura para contar outras tantas histórias oriundas desses três personagens“, explica João Borges, roteirista e responsável pela pesquisa histórica da capoeira em Juazeiro.

Produzida por meio de recursos do edital Prêmio de Cultura Lei Aldir Blanc – Culturas Identitárias, de Juazeiro, a websérie, além de estar disponível nas plataformas digitais, também será distribuída nas escolas municipais da cidade, em respeito à Lei 10.639, que a partir de 2003 tornou obrigatório o ensino da história e cultura afro-brasileira e africana em todas as escolas, mas ainda é alvo de violações.

Projeto Malê

O Malê é um coletivo de educação artística, nascido nas cidades ribeirinhas de Juazeiro e Petrolina, e que tem como orientação os fundamentos da Capoeira Angola como meio de difusão do pensamento. Antes da pandemia da Covid-19, o coletivo realizava treinos semanais pelos bairros periféricos de ambas as cidades e também no Arco da Ponte, estando no município de Juazeiro também com a única roda semanal de Capoeira Angola. O projeto age em conjunto com os núcleos, que desenvolvem atividades em suas respectivas áreas com o intuito de espalhar o corpo da Capoeira Angola nas periferias, estimulando-se com estudos da espiritualidade afro-brasileira e indígena como métodos de abordagem para o enfrentamento dos dilemas do dia a dia. (Texto: Thiago Santos)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *