Governo prepara projeto de incubação de empresas e formação de mão-de-obra para Agreste Meridional

por Carlos Britto // 24 de março de 2009 às 23:29

Os municípios do Agreste Meridional contarão, em breve, com um projeto governamental focado no apoio às micro e pequenas empresas e qualificação de mão-de-obra. Em parceria com a Comissão de Desenvolvimento do Agreste Meridional (Codeam), a Secretaria de Desenvolvimento Econômico está preparando uma espécie de centro incubatório, que abrigará, além de futuras empresas, escola técnica e outras estruturas voltadas para assessoria e apoio à formação de mão-de-obra qualificada, beneficiando a população de 40 municípios.

A execução do projeto é um dos temas da agenda que o secretário de Desenvolvimento Econômico, Fernando Bezerra Coelho, cumpre nesta quarta-feira naquela Região de Desenvolvimento.
Entre os tópicos do encontro do secretário com a Codeam estão a discussão do projeto de engenharia, a entrega da posse do terreno – cuja desapropriação custou R$ 330 mil à AD Diper e será formalizada na semana que vem -, a gestão do centro e seu aparelhamento.

Acompanhado pelo presidente da AD Diper, Jenner Guimarães do Rêgo, do diretor de incentivos fiscais, Aymar Soriano, do gerente geral de Articulação Empresarial, Wagner Maciel, e do chefe de gabinete, Edelson Gomes, Bezerra Coelho visitará, ainda, as instalações das indústrias Bom Gosto, em Garanhuns, e Perdigão, em Bom Conselho.

Em Garanhuns, o grupo será recebido, às 9h, pelo presidente Wilson Zanatta. A companhia de laticínios gaúcha assumiu a operação da fábrica pertencente à Parmalat na semana passada, após comprá-la por R$ 31 milhões, em fevereiro. A unidade tem capacidade de processamento de 500 mil litros/dia e está voltada para a produção de leite UHT, leite tipo C, leite em pó, leite condensado, creme de leite e iogurte.

Os planos para Pernambuco envolvem o estímulo ao desenvolvimento da bacia leiteira da região. Para isso, a empresa estuda transferir matrizes de gado leiteiro para Garanhuns. Com essa nova aquisição, a Bom Gosto, segundo informações de sua assessoria de imprensa, passará a contar com 19 locais de produção, 2,8 mil funcionários e 28 mil produtores integrados.

À tarde, já em Bom Conselho, a comitiva acompanhará as obras do complexo agroindustrial da Perdigão. Prestes a ser inaugurada (ainda neste primeiro semestre), a fábrica é fruto de um aporte de R$ 280 milhões. Quando estiver operando, vai produzir embutidos como salsichas, mortadelas e lingüiças e contribuir para dinamizar, ainda mais, a bacia leiteira do Agreste. Esta será a 33ª unidade industrial da Perdigão no Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *