Governo de PE investe pesado em mídia para incentivar vacinação em crianças

por Carlos Britto // 24 de outubro de 2022 às 09:20

Foto: Miva Filho/SES-PE divulgação arquivo

Riscos invisíveis. É com este mote que o Governo de Pernambuco alerta a sociedade para o risco da reintrodução de doenças no Estado em decorrência da baixa adesão à vacinação em nova campanha de mídia para incentivar e reforçar a imunização das crianças. O material, que foi lançado no domingo (23), contempla filme para TV, spot de rádio, carro de som e peças para blogs e outras mídias digitais e deve circular até o final do mês, coincidindo com o encerramento das campanhas de Multivacinação e de Imunização contra a Poliomielite, que termina no dia 31 de outubro.

Atualmente, o Estado conta com 82,5% (444.720 doses aplicadas) do público-alvo – crianças entre 1 e 4 anos – protegido contra a doença. A meta estipulada pelo Ministério da Saúde (MS) é de 95% da população prioritária devidamente vacinada contra a doença.

Em Pernambuco, 538.868 crianças nessa faixa estão aptas a receber a vacina de proteção contra a poliomielite. O percentual atual de cobertura por faixa etária está em 87,2% nas crianças de 4 anos (117.004 doses aplicadas); seguido dos pequenos com um ano de idade (84,77% – 108.898 doses aplicadas); crianças de 3 anos (79,28%, sendo 109.845 doses aplicadas); e pequenos com 2 anos de idade (79,15% – 108.973 doses aplicadas). Dos 184 municípios pernambucanos, 77 atingiram a meta de 95% de cobertura preconizada pelo órgão federal. Outros 104 estão com percentual igual ou menor que 94% de cobertura e quatro cidades estão com 50% de cobertura ou com percentual abaixo da metade.

Em paralelo com a divulgação da campanha de mídia, voltada para a população em geral, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) está em articulação constante com os municípios, reforçando com os gestores a necessidade de implementação e fortalecimento de estratégias de avanço da vacinação das crianças em seus territórios.

O Brasil não detecta casos de poliomielite desde 1990. No ano de 1994, o país recebeu da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) a Certificação de área livre de circulação do PVS. O esquema vacinal para proteção contra a doença consiste na aplicação de três doses da vacina VIP (vacina inativada pólio), aplicada por meio de injeção, até os 6 meses de vida do bebê. Além disso, é recomendada outras duas doses da vacina até os 4 anos de idade, sendo esta por via oral (vacina VOP – vacina pólio oral), também conhecida como “gotinha”.

Multivacinação

Na estratégia de multivacinação, o público-alvo são crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade (14 anos 11 meses e 29 dias), não vacinados ou com esquemas vacinais incompletos, de acordo com o Calendário Nacional de Vacinação. São ofertadas a proteção contra várias doenças imunopreveníveis, como Hepatites A e B, rotavírus humano, BCG, pneumocóccica, pentavalente, meningocócica, febre amarela, tríplice viral, varicela e DTP.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.