Gestante de gêmeos perde um dos filhos e familiares detonam HDM/Imip; hospital diz que caso foi “uma fatalidade”

0

Repercute fortemente pelas redes sociais mais um fato negativo envolvendo o Hospital Dom Malan (HDM)/Imip, em Petrolina, na manhã desta quarta-feira (9). Uma gestante de gêmeos perdeu um dos seus filhos, após dificuldades no parto. Revoltados, familiares da jovem afirmam que o problema teria ocorrido pela demora no atendimento.

O drama de Shislane Milhomens Cavalcante, que reside no Bairro Vila Eulália (zona norte de Petrolina), começou na manhã do último sábado (5), quando ela foi levada à unidade médica sentindo muitas dores.

Apesar de ter sido levada para a triagem, onde seria induzida ao parto normal, a comunitária acabou recebendo alta – mesmo estando com oito centímetros de dilatação, conforme familiares da comunitária. Porém, antes de deixar o hospital, as dores de Shislane aumentaram. A alta foi suspensa e a gestante, que chegou a desmaiar, foi encaminhada às pressas para a sala de parto do HDM.

A cesariana ocorreu na madrugada de hoje. Um dos gêmeos não resistiu à cirurgia e faleceu. O outro está na Unidade de Terapia Intensiva do hospital. Mãe e filho, segundo informações do hospital, não correm risco de morte.

Nota

Em nota enviada ao Blog por meio de sua assessoria, a direção do HDM/Imip tratou o caso como “uma fatalidade”.

Confiram a íntegra da nota:

O Hospital Dom Malan/Imip de Petrolina informa que a paciente Shislane Milhomens Cavalcante deu entrada na unidade materno-infantil no dia 5 de agosto (sábado), onde foi verificado através de ultrassom e exames clínicos uma gestação gemelar de 37 semanas, com 5 cm de dilatação, bolsa íntegra e ausência de trabalho de parto; tendo a paciente evoluído até o dia 8 (terça-feira) com o mesmo quadro.

Somente hoje (9) pela manhã, às 6h40, a paciente entrou realmente em trabalho de parto, quando foi reavaliada mais uma vez pela equipe médica e indicada a cesariana por precaução, que aconteceu 20 minutos depois, às 7 da manhã.

Infelizmente um dos bebês nasceu grave e veio a óbito pela possível causa de hipóxia intrauterina, provavelmente provocada pela própria complicação da gestação gemelar, que por si só já apresenta riscos em dobro.

A equipe médica do hospital ressalta que o caso trata-se de uma fatalidade, já que nenhuma situação de agravo foi identificada na evolução da paciente. Em momento algum mãe e bebês apresentaram sinais de alteração que pudessem indicar uma situação de risco ou apontar um desfecho desfavorável.

Em tempo, o Hospital Dom Malan solidariza-se com a família, se coloca à disposição para maiores esclarecimentos e ressalta que toda a assistência necessária continua sendo prestada. Mãe e bebê vivo passam bem.   (foto/arquivo pessoal)

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome