General Mourão afirma que ensino de moral e cívica pode voltar às salas de aula

8
Foto: Romério Cunha/VPR

O presidente da República em exercício, Hamilton Mourão, disse hoje (28) que o governo deve promover a volta de educação moral e cívica aos currículos escolares, em discussão no Ministério da Educação (MEC). Para ele, o ministério tem sido “um local de combate”, mas que a volta da disciplina está no “radar” do presidente Jair Bolsonaro.

Vocês sabem que o Ministério [da Educação] tem sido um lugar de combate direto. Não se desmancha tudo que existe lá da noite pro dia. Tem que ser um trabalho bem organizado. Mas é determinação e a diretriz do presidente que matérias dessa natureza retornem”.

Mourão deu uma palestra na Associação Comercial do Paraná, na manhã de hoje (28), e respondeu perguntas da plateia.

Ele contou que estudou nos Estados Unidos durante sua adolescência e havia, segundo ele, uma disciplina semelhante à educação moral e cívica, acrescentando que não se trata de algo relacionado a um campo ideológico específico. “Vi uma matéria chamada civics, que era exatamente ensinar a Constituição, formação da nacionalidade, todas as coisas que eram ensinadas em educação moral e cívica. Isso não é uma coisa da direita nem da esquerda, isso é educação”.

Eixos

Mourão disse ainda que o governo de Jair Bolsonaro trabalha com três eixos. O primeiro é o econômico, a cargo do ministro da Economia, Paulo Guedes. O segundo é o da segurança pública, sob o comando do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. E o terceiro é a agenda de costumes. “É um projeto caro ao presidente, e isso está sendo conduzido por ele, pessoalmente”.

O presidente em exercício, reconheceu, no entanto, que a pauta dos costumes é delicada, e que é preciso cuidado para não tirar o governo do rumo que pretende seguir. “O presidente já se deu conta disso, ele não abandona o compromisso que ele tem com as pessoas que o elegeram, mas ele sabe que determinados movimentos não podem ser feitos pela conjuntura que se vive hoje no mundo como um todo”. (Fonte: Agência Brasil)

8 COMENTÁRIOS

  1. Isso é ótimo, eu estudei (OSPB) Organização Social e Política do Brasil e (EMC) Educação Moral e Cívica. Os jovens de hoje não sabem nem quais são os 3 poderes da República, muito menos a função de cada um, são eles: EXECUTIVO, LEGISLATIVO E JUDICIÁRIO. Diante dessa situação políticos mal intencionados, tentam doutrinar os jovens com a ideologia própria de cada um, inclusive induzindo a apoiar o COMUNISMO que deveria ser ‘banido’ do cenário político do pais, como foi o Nazismo na Alemanha e no planeta. No Comunismo um ditador sanguinário manda e, quem não obedece vai para o paredão, o cidadão serve de escravo pra um grupo ou um ditador como na Venezuela, Coreia, China, etc… A democracia ainda é o melhor regime político para o pais.

    • Deixa eu ver se eu entendi: tu está se reclamando do totalitarismo do comunismo, mas defende que o estado brasileiro em sua atual conjuntura política doutrine os alunos com educação “moral e cívica”? Isso não seria um contrassenso senhor Edilberto? Essa ala ideológica da direita já foi mais inteligente, nunca que um conservador de verdade defenderia tamanha asneira.

  2. É o retorno do totalitarismo do estado (se é que em algum momento ele deixou de existir) agora o Estado é quem vai dar lição de moral aos nossos filhos.

    Ora senhor Mourão, nacionalidade é um termo totalitário e coletivista, pois exclui todas as individualidades forçando a união entre pessoas, nunca vi medida tão esquerdista como essa, parece até a Alemanha nazista, A Itália fascista, ou a URSS, nestas ditaduras existiam disciplinas como esta, para moldar o caráter do indivíduo ao bel prazer do Estado. Se meu filho quiser ser um Klingon e não um brasileiro, mesmo morando neste buraco, ele tem o direito a isso. Não cabe ao Estado impor nacionalidade a quem não deseja fazer parte, muito menos impor a moral que for definida por meia dúzia de burocratas, é a maior violação de liberdade e de propriedade que eu já vi.

    Pais boicotem tal medida, não cabe ao Estado formar a moral de seus filhos, e sim vocês mesmos!

  3. Sem querer criar polêmica e, embora você “defensor da liberdade”, não mereça nem uma resposta porque nem coragem de se identificar tem, não costumo dar satisfação a invisíveis. Mas quando me refiro a EMC e OSPB, não estou fazendo apologia a ideologia nenhuma, estas disciplinas mostram ao estudante apenas o sistema político do pais, somente o que está escrito na nossa lei maior a CONSTITUIÇÃO FEDERAL/88, é nela que está definido direitos e deveres do cidadão. Não me referi a doutrinação nenhum, seja de esquerda, direita ou centro, isso pra mim não vale nada é tudo uma quadrilha só. Essas disciplinas não induzem ninguém a nada, apenas mostram as regras da nossa sociedade definidas em uma ASSEMBLEIA CONSTITUINTE e ponto.

  4. Eu, fui do tempo, em que ao adentrar na escola, se cantava o hino Nacional. Tinha absoluto respeito aos professores. Recebia aulas de Moral e Cívica. O aluno, aprendia, estudava com mais afinco.apredia sempre uma profissão, era bem educado, respeitava os bons costumes, poucos alunos, se enveredava pelo caminho do mal. Era outro mundo. Um país com mais valores, hoje, não se tem mais limites principalmente, entre os mais jovens. Não queremos um país comunista, onde quem só tem direitos, são os que estão na cúpula. Tudo que se tem no país, é de propriedade do governo. O povão em si, só recebe as migalhas que o governo oferece. Deus nos livre desta maldição de comunismo! Um Brasil democrático para todos!

  5. Estou de pleno acordo. Eu mesmo dei essas matérias na escola, muito bom! Espero que essas matérias voltem o mais rápido possível, para podermos melhorar a vida dos nossos animais brasileiros

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome