Funcionários dos Correios em Pernambuco decidem manter estado de greve

3
Foto: Ascom/divulgação

Reunidos em assembleia, os funcionários da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT) em Pernambuco decidiram seguir a orientação das federações da categoria (FENTECT e FINTECT) e manter o estado de greve e as negociações em curso. Em todo o Brasil, os ecetistas se reunirão novamente no próximo dia 14/08 para deliberarem sobre o movimento e a possibilidade de paralisação. O foco da negociação está no plano de saúde.

O comando de negociação do Sindicato dos Trabalhadores da Empresa de Correios e Telégrafos em Pernambuco (SINTECT-PE) comunicou à categoria local as condições do Tribunal Superior do Trabalho (TST) para manter a mediação, em despacho assinado pelo vice-presidente do Tribunal, Renato de Lacerda Paiva.

Ainda ficou demonstrado no despacho que o TST está sensibilizado pelas condições dos trabalhadores e trabalhadoras diante da obrigação de arcar com mensalidades do plano de saúde da categoria, o Postal Saúde. O novo custo, a coparticipação, que a empresa impôs aos seus funcionários e funcionárias está onerando os salários líquidos em até 70%.

O despacho propõe ainda a manutenção das cláusulas do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2017/2018, que perdeu a vigência no último 1° agosto. A assembleia, no Recife, ocorreu no auditório da Igreja da Soledade, no Centro da cidade, e ainda nas subsedes do SINTECT-PE em Caruaru (Agreste) e Petrolina.

Pauta

Além de serem contra a cobrança de mensalidade no plano de saúde, os funcionários também não querem a privatização da ECT, são contra o sucateamento dos Correios e defendem “uma empresa pública e de qualidade”. As informações são do SINTECT-PE.

3 COMENTÁRIOS

  1. Podem se enterrar num buraco que ninguém vai sentir falta. Quero saber até quando vão de brincar com a paciência dos pagadores de impostos, quando vão deixar a demagogia de lado e mandar essa porcaria que chamam de Cúrreios para o espaço.

  2. Eu agora só coloco minhas correspondências e cargas pro endereço de juazeiro. Além de muito mais barato, chega bem mais rápido. E dificilmente Bahia entra em grave.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome