Funcionários da Viva Petrolina voltam a acusar empresa de descumprir acordo

0

greve viva petrolinaEm greve há duas semanas, os funcionários da empresa Viva Petrolina passaram por mais um dia de apreensão nesta sexta-feira (27). Depois da reunião ocorrida ontem (26) no Ministério Público do Trabalho (MPT), que contou com a presença dos sócios da empresa, de representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário de Petrolina (Sinttrop) e da vereadora Cristina Costa, as expectativas seriam de que o impasse seria resolvido hoje.

Pela negociação, a Viva comprometeu-se a pagar os 60 dias de salários atrasados dos grevistas. Mas até o início da manhã, isso ainda não tinha acontecido.

O advogado do Sinttrop, Agrinaldo Sidrônio informou ao Blog que apenas alguns funcionários tinham recebido, e chegar a cobrar os comprovantes de pagamento a um dos sócios da empresa, Eduardo Uzêdo, que foi até o local onde os funcionários estão, na área externa do Centro de Convenções Senador.

“Ele veio aqui fazer ameaças aos funcionários, dizendo que tinham passado do limite e que iam levar os ônibus de qualquer jeito”, afirmou Sidrônio. Desde a greve, o Sinttrop deixou claro que os veículos, que foram levados pelos manifestantes para o local, só sairiam de lá depois que a Viva quitasse os dois meses de salários atrasados. O presidente do Sinttrop, Jaime Pessoa, que se disse surpreso por achar que tudo já estaria acertado, viu com naturalidade o comentário do dono da Viva, de que depois “se acertaria” com ele e Sidrônio. “Nós, sindicalistas, já estamos acostumados”, afirmou.

Perseguição

Assim que soube de mais esse impasse, a vereadora Cristina Costa foi até o local. Ao Blog ela disse ter tomado conhecimento de que a empresa estaria praticando “perseguição” aos grevistas, deixando para pagá-los por último, e ia cobrar explicações da empresa. Responsável pela realização de uma recente audiência do transporte público na Casa Plínio Amorim, Cristina deixou claro que os problemas no setor estão com os dias contados. “Vamos acabar de vez com o esquema do transporte público em Petrolina”, declarou. Até o fechamento desta matéria, a vereadora havia informado que 120 dos 187 funcionários da Viva já haviam recebido os salários atrasados. Publicaremos, daqui a pouco, a nota da empresa sobre o assunto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

quatro + 1 =