Fiscais da Prefeitura de Petrolina apreendem mercadorias de comerciante que desrespeitou acordo

7
Foto: Ascom PMP/SEDURBS divulgação

Um dia depois do início das atividades no novo espaço para os comerciantes informais de frutas e verduras do Centro de Petrolina, a prefeitura já teve de agir. Fiscais da Diretoria de Disciplinamento Urbano e Atividades Licenciadas da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (SEDURBS) apreenderam a mercadoria e os equipamentos de trabalho de uma pessoa que descumpriu o acordo firmado com a gestão municipal.

As seis caixas de verduras e um carrinho estavam posicionados na calçada, próximo a um posto de combustíveis localizado nas imediações do Mercado do Turista. O trabalho foi feito no fim da manhã desta terça-feira (11) e contou com a parceria da Agência Municipal de Vigilância Sanitária (AMVS) e da Guarda Civil Municipal (GCM).

Como a situação contrariava o que ficou definido entre a Associação de Feirantes, Ambulantes, Barraqueiros e Camelos de Petrolina (Afeabacap) e a SEDURBS, o material foi levado para um depósito, enquanto os alimentos foram destinados ao Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), uma vez que, por não ser possível checar a procedência dos mesmos, não podem ser destinados para consumo humano.

O Diretor de Disciplinamento Urbano e Atividades Licenciadas da SEDURBS, Cícero Dirceu da Silva, lamentou a situação. “É triste ver alguém do grupo dos comerciantes ambulantes não cumprir o acordo que fizemos. Além de todos os prejuízos com a mercadoria e a taxa para recuperar o material, a pessoa também perde a chance de trabalhar direito e fazer a sua parte para contribuir para o ordenamento da nossa cidade. Isso é algo que todos precisam estar comprometidos, não só a Prefeitura de Petrolina, o prefeito Miguel, como os comerciantes informais e, principalmente a população“, destaca Silva. Com informações da assessoria da PMP/SEDURBS.

7 COMENTÁRIOS

  1. Demoram demais para tomar providencia,muito deles hoje já se acham dono das calçada,por isso quando tomarem conta das calçadas novamente tem que tirar de imediato não ficar com medo de perde 2 votos ou uns abestalhados choramingando nas rádios,como diz este texto.Há uma leitura bíblica, do evangelho de São Marcos, capítulo 12, versículos de 13 a 17, que muito nos ensina: “Naquele tempo, as autoridades mandaram alguns fariseus e alguns partidários de Herodes, para apanharem Jesus em alguma palavra. Quando chegaram, disseram a Jesus: “Mestre, sabemos que tu és verdadeiro, e não dás preferência a ninguém. Com efeito, tu não olhas para as aparências do homem, mas ensinas, com verdade, o caminho de Deus. Dize-nos: É lícito ou não pagar o imposto a César? Devemos pagar ou não?” Jesus percebeu a hipocrisia deles, e respondeu: “Por que me tentais? Trazei-me uma moeda para que eu a veja”. Eles levaram a moeda, e Jesus perguntou: “De quem é a figura e a inscrição que estão nessa moeda?” Eles responderam: “De César”. Então Jesus disse: “Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus”. E eles ficaram admirados com Jesus”.

    O texto acima nos desperta duas situações. A primeira: Aqueles homens aproximam-se de Jesus, mal intencionados. Não querem ouví-lo, querem pegá-lo em uma palavra errada. Não há interesse pela verdade perguntada, mas sim em incriminar Jesus. A segunda: A resposta clássica de Jesus, “dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus”, é recheada de sabedoria. Sabedoria esta que põe cada coisa e cada pessoa no seu lugar.

    Com esta resposta, Jesus os silencia. Mostra-lhes que Ele veio a este mundo, para que, vivendo nele cumpra também seus deveres, mas sem compactuar com os erros dele. Isto para nossos dias é de suma importância. Não é porque se serve a Deus, que se deve isolar do mundo ou simplesmente viver nele, sem contribuir para que ele se torne melhor.

    • Ah claro, e pagar imposto para beneficiar alguém que tu nem conhece, enquanto tu fica mais pobre é uma maravilha. Perdeu a chance de ficar calado, meu caro Sempre Atento. O que Jesus mostrou com isso é que nossa estadia neste mundo é passageira, e de nada vale perder tempo com certas coisas que o próprio homem impõe contra os outros e contra si mesmo, e isso inclui essa porcaria que chamam de governo, ou estado, seus malditos políticos, dirigentes, impostos, taxas, regulações e funcionários públicos. Eu não assinei nenhum contrato social, você também não, não entendo o por que temos de nos sujeitar à essa babaquice que chamam de estado, ainda mais no estado mastodôntico em que se encontra.

  2. Era previsível. Legalizar camelô e outras atividades informais que nem gera empregos formais e nem paga impostos é incentivar outros a invadir praças e calçadas públicas. Mando um recado que aqui é a casa da mãe joana. E olha que muitos nem de Petrolina são. Assim a cidade vira um grande favelão.

  3. Bando de fascistas, querendo impedir quem quer trabalhar, isso só por que não pagou o suborno (imposto) para o governo, ou não quis se sujeitar à uma regra imbecil que não reflete as necessidades dos consumidores. Quanto ao Petrolina First, que comentário mais imbecil, na sua lógica todo mundo tem que pagar imposto, ou seja, ser roubado, estuprado pelo governo, só por que não gera empregos, acho que nunca ouvi falar de freelancer, trabalho autônomo, etc. Na visão deste ser, estas categorias também tem que ser estupradas com impostos, taxas, regulamentações e outras babaquices que o governo inventa para passar a mão no dinheiro alheio. Bom, nem preciso dizer mais nada, a atual situação em que o Brasil se encontra já diz tudo.

  4. Ninguém se apresentou para impedir que esses vagabundos estatais tirassem o sustento de uma pessoa? Quanta falta de humanidade, de bom senso, de respeito para com a dignidade humana! A inércia do povo brasileiro me causa repulsa, mas não me estresso com isso, o povo brasileiro já tem o seu pagamento por isso, com pobreza, violência, desemprego e roubo da nação por meia dúzia de políticos, funcionários públicos e empresários amiguinhos do governo.

  5. O chicote só tá começando, depois das eleições vcs vão ver a madeira piar nesses pais de família, quando é um menor infrator
    é porque é vítima da sociedade, e esses aí sera que são vítimas desses políticos ladrões
    que estão no poder ?

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome