Famílias da região do Pontal são obrigadas a deixar área após reintegração de posse

1

Uma ação de reintegração de posse, nas primeiras horas da manhã de hoje (8), resultou na desocupação de milhares de famílias de pequenos agricultores dos Assentamentos Democracia e Dom Tomaz, ligados ao Movimento dos trabalhadores Sem Terra (MST), na região do Pontal. A medida foi acatada pela justiça após a 3ª Superintendência Regional (SR) da Codevasf alegar que a área é de propriedade do governo federal.

As famílias deveriam ter deixado o local no final de fevereiro deste ano, após o prazo determinado pela justiça (em dezembro de 2017). Decididos a permanecer, os agricultores foram forçados a sair após a justiça autorizar a cortar a água do Pontal que abastece o projeto. As famílias também tiveram o fornecimento de energia suspenso.

Acompanhado por policiais federais e militares, um oficial de justiça levou o mandado de reintegração de posse, mas os agricultores mostraram resistência. O clima chegou a ficar tenso os agricultores acusarem a polícia de ter jogado sprays de pimenta. Um vídeo do qual este Blog teve acesso mostra o momento em que as máquinas começam a destruir as casas dos assentamentos.

As famílias aguardam uma definição das autoridades públicas, sobretudo do Instituto Nacional de Reforma Agrária (Incra), em relação a uma nova área para onde irão. Os agricultores reivindicam uma área definitiva, e não provisória.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome