“Falta liderança e projetos”, avalia Miguel Coelho após novo ranking negativo da economia pernambucana

por Carlos Britto // 16 de junho de 2021 às 12:00

De acordo com dados de uma pesquisa realizada pelo Banco Mundial, o estado de Pernambuco está entre os piores lugares para se fazer negócios no país, pela nota média. Além de Pernambuco, o Pará, Bahia, Amapá e Espírito Santo também ficaram atrás no ranking. Quem se saiu bem foi o Estado de São Paulo, que recebeu o título de unidade federativa com melhor ambiente de negócios do país, seguido de Minas Gerais, Roraima, Paraná e Rio de Janeiro, que completaram a lista dos cinco estados com melhor classificação na pesquisa.

O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (MDB), criticou o governo do Estado e declarou que falta liderança e projetos para recuperar a economia estadual. Miguel, que também é secretário-geral da Frente Nacional dos Prefeitos, afirmou que os dados são percebidos no dia a dia dos pernambucanos de todas as regiões. Disse também que, recentemente, Pernambuco “bateu recorde de desocupação nos empregos; registra o menor montante de investimentos públicos entre os estados nordestinos; e tem um dos piores indicadores em burocracia e competitividade no País”.

“Pernambuco perdeu as condições de ser atrativo, de gerar esperança e empregos. Hoje, o nosso Estado é um dos que mais cobra impostos em todos os setores. Então, Pernambuco é muito bom para cobrar imposto, mas deve muito na hora de cuidar da população. Precisamos fortalecer esse debate para nos unirmos e encontrarmos uma solução que supere esse momento difícil”, alfinetou Miguel.

Confira o depoimento de Miguel Coelho no link abaixo:

https://www.instagram.com/tv/CQL2TwZHrnR/?utm_source=ig_web_copy_link

“Falta liderança e projetos”, avalia Miguel Coelho após novo ranking negativo da economia pernambucana

  1. Pensador disse:

    Miguel… Votei em voce para Prefeito as duas vezes, mas não adianta vir com essa fala. Você infelizmente não vai ser eleito para Governador.

  2. Jonas disse:

    Novidade nenhuma! Dessa administração desastrosa do Paulinho Slow Motion não se poderia esperar outra coisa! E não é só o estado, mas também a capital, Recife, segundo esse mesmo relatório do Banco Mundial, figura como a pior capital brasileira pra se fazer negócios, perdendo feio para outras capitais do nordeste; coincidentemente ambos são administrados pelo mesmo partido há anos. A consequência não poderia ser pior: perda de competitividade e de capacidade de atração de empresas, contribuindo para aumentar ainda mais a massa de pessoas sem emprego que a cada ano entra na força de trabalho, como já constatado na taxa de desemprego do estado, cujo índice é o maior do Brasil. E, para colocar mais um ingrediente nesse bolo amargo, temos a insistência do governador “salva-vidas” na decretação de lockdowns, quarentenas, toques de recolher e proibição do trabalho de certas atividades econômicas, medidas essas que já se revelaram ineficazes e acientíficas para o combate ao vírus (vide o caso da Argentina), mas que são extremamente danosas para a economia, como se presencia hoje. Fato curioso, e no mínimo estranho, é que apenas um dos três principais jornais de grande circulação do estado tenha repercutido esse estudo do Banco Mundial. O que aconteceu com o tino jornalístico e a capacidade de informar aos seus assinantes uma notícia tão relevante como essa? Será que essa dado não é interessante? Ah, já sei, acho que faltou espaço nas páginas do jornal por causa dos anúncios do Governo estadual!

  3. Defensor da liberdade disse:

    Esse prefeito fala como se Petrolina fosse uma Hong Kong da vida. Tira a verba federal e os milhões de empréstimos, que hoje o povo está pagando em dobro, sobra o quê em Petrolina? Prefeito esse governador está aí por sua causa, você e seu pai o colocaram lá.

  4. joao vitor disse:

    Açoes de Paulo Camara:
    – aumentar impostos
    – Fechar tudo sem criterio nenhum

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *