Falta de medicamento contra rejeição preocupa paciente transplantado de Petrolina; SES responde

0
(Foto: Ilustração)

Um paciente de Petrolina que passou por transplante de rim, no Recife (PE), está sem receber um medicamento usado para evitar a rejeição do órgão. De acordo com Gismael Macedo Damascedo, o Ganciclovir de 250 mg é um remédio indispensável para quem passou por um transplante de órgãos e é de uso contínuo. Sem ele, o paciente corre risco de perder o órgão e ter de voltar para a fila de transplantes.

O remédio custa em torno de R$ 1 mil e, agora, com medo de perder o rim transplantado, Gismael entrou na justiça e aguarda um mandado de segurança até esta sexta-feira (22). Ele fez o transplante no último dia 8 e era para ter começado a tomar o medicamento ontem (18). “Eu posso contrair citomegalovírus, que combate o enxerto transplantado”, teme Gismael.

Resposta

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) informou que as unidades da Farmácia de Pernambuco estão abastecidas do fármaco ganciclovir na apresentação em bolsas (solução injetável de 250 ml). “Em relação à apresentação de 250 mg (comprimido), a SES ressalta que não tem medido esforços para adquirir o fármaco, usado no combate de complicações em casos de transplante de rim“, diz a nota.

Atualmente está em andamento processo para aquisição do medicamento. Vale reforçar que a aquisição desses insumos precisa seguir todos os trâmites legais da administração pública. Por fim, a SES acrescenta que ainda não foi notificada judicialmente sobre o caso do paciente citado pela reportagem“, ressalta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome