Evolução da pandemia em Petrolina e Juazeiro tem relação direta com abertura do comércio, dizem pesquisadores

16

Foi divulgado nesta sexta-feira (26) mais um boletim do Grupo de Modelos Matemáticos para Covid-19 de pesquisadores da Univasf (GMC-VASF) que analisa, por meio de modelos epidemiológicos, a evolução da pandemia do novo coronavírus nas cidades de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA). O objetivo é contribuir para a informação do público e das autoridades da região sobre o cenário atualizado da doença.

Nesta terceira edição, o GMC-VASF destaca o aumento dos casos confirmados após abertura do comércio nas duas cidades.

Para o professor Telio Nobre Leite, um dos pesquisadores do grupo, as análises têm batido com a realidade da pandemia na região. “Após três semanas divulgando internamente na Univasf os nossos resultados, nesta terceira edição do nosso boletim conseguimos detectar que o crescimento dos casos confirmados tem relação direta com a data da abertura do comércio (1º de junho) nas duas cidades. Nossos estudos apontam que a pandemia da Covid-19 está em franca ascensão na região, e que ainda não atingimos nem 3% da população infectada, incluindo os assintomáticos que não foram testados”, ressalta.

Em breve, o grupo disponibilizará mais informações em sítio específico na rede mundial de computadores. Para mais informações, o e-mail do grupo é o gmcvasf@univasf.edu.br.

16 COMENTÁRIOS

  1. Professor Teles falando de epidemiologia? Não entendi. Ele não tem formação na área. Tá pegando carona? Deixe que outros apresentem os dados. A questão é séria. Espera ser nomeado reitor professor, se é que será?

    • O nome do professor é Télio, ele é físico . O que o Professor Doutor Télio e todo o grupo fazem se chama modelo matemático. É uma projeção com base em dados epidemiológicos. Mostra uma tendência dos casos. É um suporte aos estudos epidemiológicos e ao planejamento em saúde. Agradeçamos ao seu Valoroso trabalho

  2. Maria do Carmo, se voce não viu, ou não leu direito o grupo de pesquisadores é de matemáticos e Físicos, area de formação dele( Telio), aliás, em todo o mundo o avanço da pandemia também é estudado por modelos matemáticos, não confunda politica com ciência.

  3. O professor é Télio, doutor em física. O quê ele faz se chama modelo matemático. É uma projeção com base no número dos casos. Ele e todo o grupo têm sim, competência para fazer. A ignorância é a derrota desse país

  4. Um matemático falando de números, sério isso? que innnrrrrrresponsabilidade viu, professores de sociologia que ensinam os modelos da epidemiologia deveriam entrar com uma ação de exercício ilegal da profissão, estou com vc Maria do Bairro.

  5. Isso é o óbvio. Prla quantidade de gente nas ruas de 20 dias atrás não era de se esperar algo diferente. As pessoas estão brincando, fazendo de conta que tá tudo normal . Colocam uma máscara e acham que podem sair por aí, batendo perna pra fazer nada. É lamentável . E os casos vão tão somente aumentar. Já já chega em mil….

  6. Não precisa de pesquisa para saber que o aumento de casos do covid se deve ao comércio funcionando normalmente como se nada estivesse acontecendo na cidade e no país.

  7. A reportagem não está falando em epidemiologia a partir de algum especialista nisto. E sim apresenta a evolução da pandemia a partir de análise dos dados epidemiológicos. Coisa bem diferente. Importante estudo da Univasf, cumprindo o importante papel da universidade ao abordar o tema tão atual e relevante de diferentes formas.

  8. Como pode a seta vermelha inclinar precisamente no dia da abertura do comércio? E o tempo de ser infectado pelo vírus, período de incubação, anticorpos e detecção da doença? A influência da abertura não deveria aparecer no mínimo 7 dias após a abertura?

  9. Nada a ver. Uma parte dos testes positivos são de pessoas testadas antes da abertura do comércio e só agora entrou na estatística. Os aumentos dos testados positivos recentes se dá na proporcional do aumento de testes diários. Tem muito gente que se cura sem sequer saber que um dia teve. Outros tantos morrem por questões outras, mas foram para estatística porque supostamente estariam com o vírus. Os números dos coronavírus são uma verdadeira bagunça. Só um louco se propõe a decifrar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome