Estudantes petrolinenses aprovados em Medicina falam sobre preparação e incentivos: “Tem que estudar”

2

estudantes medicina2

Ser aprovado em Medicina, uma das carreiras mais concorridas do país, não é tarefa fácil, mas com muito empenho três estudantes de Petrolina foram selecionados na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf).

Com excelentes notas, através do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), João Gabriel Bandeira, de 17 anos, e Raphael Oitaven, de 18, foram selecionados na UFPE campus Recife, e Adenivaldo Junior, de 18 anos, conseguiu emplacar em segundo lugar na Univasf. Em entrevista a este Blog, todos eles disseram que não tem segredo: o fundamental é o estudo.

A preparação é a mesma de todos, mas para Medicina é diferente, pois a gente estuda bastante. Eu vou morar no Recife com familiares. Acredito que vai ser complicado, mas vou fazer de tudo para que dê tudo certo”, contou João Gabriel, dizendo que só decidiu pelo curso de Medicina no ano passado, pois pensava em optar pelo curso de Biologia.

Os três jovens, que são ex-alunos do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora e fizeram cursinho pré-vestibular no BioS, disseram que a preparação foi essencial para a conquista. “No BioS, nós vimos o nível de verdade, de realidade do Vestibular. Para o vestibular você tem que pensar um pouco mais, cair na real, saber como as coisas funcionam de verdade e lá nós vimos isso”, comentou Adenivaldo.

Incentivos

Segundo Raphael Oitaven, a paixão pela Medicina surgiu quando ele ainda era bem pequeno. “Eu sempre quis Medicina, desde criancinha. Tive incentivo da família, pois minha tia é médica. Medicina tem que ser assim: tem que estudar bastante. Não tivemos que abdicar de muitas coisas, tudo foi consequência”, frisou o estudante. João Gabriel também disse que tem médico na família e isso também o incentivou.

Enquanto João Gabriel e Raphael Oitaven ainda não sabem qual área da medica vão seguir, Adenivaldo Junior disse que pretende ser Neurocientista. “Quero seguir na área da Neurociência. Tive mais incentivo quando vi o projeto do cientista brasileiro Miguel Nicolelis, que projetou o equipamento para um tetraplégico chutar a bola na abertura da Copa do Mundo em 2014. Se você deseja uma profissão, você tem que viver no estilo de vida dela. Quando você quer, existe apenas um desafio a ser seguido e superado. Quero procurar melhorar o ser humano, melhorar as coisas”, finalizou.

As aulas na UFPE devem ser iniciadas no próximo dia 17. Já na Univasf, a previsão é de que o semestre se inicie no final de abril.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

três × cinco =