Estudantes de Petrolina invadem Casa Plínio Amorim e alfinetam PEC 241 e Governo Temer: “Educação atacada”

1

estudantes-pec-241-petrolina

A sessão plenária de ontem (27) na Casa Plínio Amorim foi interrompida por uma mobilização de centenas de estudantes das redes estadual e municipal de Petrolina, promovida por entidades que representam a classe, a União dos Estudantes Secundaristas de Pernambuco (Uespe) e de Petrolina (Uesp). Articulados em todo o país contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 241, que restringe gastos públicos por um período de 20 anos – já aprovada em dois turnos na Câmara dos Deputados – lideranças estudantis do movimento na cidade voltaram a disparar duras críticas contra a medida.

Com gritos de ordem como “Fora Temer!” e “Governo golpistas”, os manifestantes invadiram o plenário da Câmara Municipal. Disposto a ouvir as lideranças do movimento, o presidente da Mesa Diretora, Osório Siqueira (PSB), pediu a compreensão dos estudantes para concluir a pauta. Depois disso, chegou a ameaçar encerrar a sessão, caso os manifestantes não atendessem seu apelo.

Um dos alvos do grupo foi a vereadora Maria Elena (PSB), a qual disse recentemente na Casa Plínio Amorim que a PEC 241 “seria um mal necessário” para rearrumar o país. “Maria Elena, cadê você, vimos aqui só pra te ver!”, gritaram os estudantes. A vereadora, no entanto, já não se encontrava no plenário.

Representante da União dos Estudantes Secundaristas de Petrolina (Uesp), a jovem Larissa Vanessa teve o espaço concedido na tribuna para fazer suas explanações. Segundo ela, a PEC 241 culmina com outras decisões do atual governo federal que “atacam a educação pública” do país, a exemplo da ‘Escola Sem Partido’, que quer “tolher o pensamento crítico dentro das escolas”.

Ela também lembrou da Medida Provisória (MP) que muda a grade de ensino – prejudicando, por exemplo, os professores que se especializaram em cursos de licenciatura, os quais poderão perder a vaga na escola para quem o diretor simplesmente julgar que tem pleno poder. Sem falar no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que vai ficar mais difícil para os estudantes que não podem pagar por um cursinho privado. “Até o pouco que tínhamos conseguido, como o ProUni e o FIES, também estão ameaçados”, afirmou.

Audiência pública

Sobre a PEC 241, Larissa reforçou que a proposta, a qual reajustará os gastos baseados apenas na inflação do ano anterior, implicará em perdas muito grandes para a população em todas as áreas. “Não será apenas a educação. Saúde, previdência e habitação também serão prejudicadas”, declarou a líder estudantil. Alguns vereadores também se pronunciaram sobre a polêmica. Um deles foi Cristina Costa (PT), a qual propôs a realização de uma audiência pública na Casa, a fim de ampliar o debate, reunindo pessoas contra e a favor da PEC 241.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome