Espetáculo de dança no Teatro Dona Amélia vai discutir ditadura da beleza

por Carlos Britto // 15 de maio de 2015 às 21:00

bailarina carol andradeEm uma época onde a moda dita que o belo é ter uma “barriga negativa” e os empreendimentos fitness tomam conta do mercado, o Coletivo Incomum de dança discute a ditadura da beleza através do espetáculo “Que Corpo É Esse?”. Um solo da bailarina Carol Andrade (foto), que fará temporada no Teatro Dona Amélia, nos Sesc Petrolina, nos dias 30 e 31 de Maio.

A criação desse novo trabalho é uma resposta para um questionamento que há muito se repetia para a bailarina (“existe um corpo ideal para a dança?”), já que o senso comum traz um estereótipo de bailarinas jovens e magras. “Devido ao meu ganho de peso nas viagens com espetáculos, nunca me viam como bailarina e sim como técnica. Então, comecei a pensar e pesquisar sobre o assunto”, relembra a artista. Além de estar em cena, Carol Andrade também assina a criação coreográfica e a direção do espetáculo.

Na equipe técnica, entre os parceiros estão Carlos Tiago na criação da iluminação e André Vitor Brandão na concepção de cenário. O trabalho também abre espaço para novos criadores da cena, com a assinatura do figurino por conta de Diego Ravelli e a concepção de trilha sonora por Ítalo Miranda. Completando a equipe, Paulo Junior cria as máscaras e Gracy Marcus é a preparadora corporal.

As apresentações, em parceria com a Fecomércio e o Sesc, começam sempre às 20h, com restrição para menores de 16 anos. Os ingressos custam R$ 5, para estudantes e comerciários, e R$ 10, para o público em geral. (foto/divulgação)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *