Equipe de Bolsonaro tenta explicar tuíte sobre ato obsceno no Carnaval de São Paulo

5
Foto: reprodução

O presidente Jair Bolsonaro ouviu nesta quarta-feira, 6, de auxiliares próximos a avaliação de que a postagem em sua conta no Twitter de um vídeo no qual dois homens aparecem em atos obscenos no carnaval foi considerada “inapropriada” e “chocante”. A repercussão causou desconforto no núcleo central do governo. A polêmica publicação do presidente gerou críticas entre seus opositores e mesmo entre os apoiadores nas redes sociais. O Palácio do Planalto precisou divulgar uma nota no início da noite para explicar a atitude de Bolsonaro.

Uma pesquisa de monitoramento diário das mídias sociais encomendada pela Secretaria de Comunicação (Secom) e apresentada a Bolsonaro indicou que, no início da tarde, 69% das mensagens sobre o episódio eram negativas. Na avaliação de ministros e auxiliares ouvidos pelo Estado, as imagens provocaram uma reação “virulenta” especialmente do “público interno”, como são classificados os seguidores do presidente nas redes sociais. Diversas publicações estrangeiras repercutiram o tuíte do presidente.

Em pouco mais de dois meses de governo, Bolsonaro tem utilizado o Twitter como principal meio de comunicação com a população. Na plataforma, porém, o presidente fez poucas menções a assuntos classificados como prioridade de sua gestão. A reforma da Previdência foi tema de apenas cinco mensagens desde o início do ano, – o equivalente a menos de 1% das postagens na rede social.

A maior parcela de comentários são textos com teor ideológico em que o presidente critica o globalismo, a suposta partidarização da educação e ações dos governos petistas e da esquerda. O pacote anticrime foi tratado em duas mensagens, e a reforma tributária, em apenas uma.

Durante o carnaval, Bolsonaro fez 29 postagens no Twitter. Na terça-feira, 5, ele publicou o vídeo polêmico – dois foliões de um bloco em São Paulo praticam o fetiche chamado golden shower (“chuva dourada”, que envolve o ato de urinar no parceiro ou na parceira). “Temos que expor a verdade para a população ter conhecimento e sempre tomar suas prioridades”, escreveu. “É isto que tem virado muitos blocos de rua no carnaval brasileiro”. Nesta quarta-feira, Bolsonaro voltou ao tema, ao perguntar qual era o significado de golden shower.

Na nota divulgada nesta quarta-feira, o Planalto afirma que as cenas do vídeo escandalizaram não só o presidente, mas grande parte da sociedade. “É um crime, tipificado na legislação brasileira, que violenta os valores familiares e as tradições culturais do carnaval”, destacou. “Não houve intenção de criticar o carnaval de forma genérica, mas, sim, caracterizar uma distorção clara do espírito momesco”.

Reflexão

No Palácio, no entanto, o episódio foi considerado um “constrangimento imensurável”, conforme um dos militares do governo. O próprio presidente se impressionou com a reação negativa. O clima de desconforto só foi atenuado no fim do dia, quando nova parcial de análise mostrou que o porcentual crítico ao tuíte caiu para menos da metade. Entre assessores, contudo, a expectativa é de que a insatisfação e crítica dos próprios apoiadores de Bolsonaro levem o presidente e seus filhos a “caírem na real” sobre os perigos de postagens “inconsequentes”. (Fonte: Estadão)

5 COMENTÁRIOS

  1. Não temos um governo, temos um circo, esse presidente é um pateta e seus assessores são patetas em dobro! É o que dar colocar no comando de uma instituição tão importante alguém cuja experiência no currículo é capinar mato em quartel, resta saber se Bozonaro capinava com uma enxada ou se era com os dentes….

  2. O único erro ele ter dado chance para os outros montarem seus palanques político na ocasião. No entanto ele falou a verdade e mostrou apenas a verdade, o carnaval tem esse lado horrível e que ninguém tem coragem de mostrar.
    Ele teve e está sendo criticado, alias, se é pra patrocinar esse tipo de coisa aí, então é melhor criar uma BOLSA CABARÉ. pelo menos não será em via pública!
    “Melhor votar no Bolsonaro do que em 9 nove dedos!”

  3. Embora eu tenha absoluta certeza que vão tentar denegrir a imagem do presidente Bolsonaro até o fim do mandato, fica difícil medir o nível cognitivo de certas pessoas, inclusive de quem faz as leis, legisladores que estão criticando isso e, que fazem parte da facção do marginal Lula. Vejam só, praticar o ato libidinoso ao vivo e em público é permitido, sem que haja nem um tipo de censura, agora publicar o ato nojento praticado por imbecis na redes sociais não pode, é falta de ética, pudor! É de um contra senso, impressionante. Bolsonaro ainda vai sofrer muito disso, por falar a verdade, não mentir, ser sincero e a favor da ética, moral e família.

  4. Acho que bolsonaro deveria não se envolver nesse tipo de publicação. No entanto, não podemos esquecer que o criminoso aqui não é bolsonaro, pois ele apenas divulgou o que acontece em todo o brasil, mas sim, são os vagabundos, tarados e canalhas que fizeram essa cena ceboza. Mas isso não é novidade, pois sempre tem quem defenda esses canalhas, tipo os esquerdistas demagogos e sem vergonhas. Fui duas vezes ao carnaval de Salvador e presenciei cenas de sexo esplícito e em público, de todas as formas, eteros e homo. O que tem que ser feito é prender essas pessoas que não vão pra se divertir, mas sim pra pervertir e desrespeitar todos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome