Entidades médicas sugerem construção de nova maternidade em Petrolina

2

Coletiva SimepeA falta de leitos no Hospital Universitário (HU) da Univasf, em Petrolina, não é um problema exclusivo da unidade de saúde. Segundo os representantes do Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe) e do Conselho Regional de Medicina do Estado (Cremepe), o problema pode se agravar no Hospital Dom Malan/Imip.

De acordo com o presidente do Cremepe, Silvio Rodrigues, o hospital já não daria conta de todas as grávidas de risco dos municípios que fazem parte da rede PEBA (Pernambuco/Bahia). “O nosso entendimento é que essa região já precisa de uma maternidade para tratar casos de alto risco. O Hospital Dom Malan não dá mais suporte a todas as gestantes da região”, comentou.

Além de uma nova maternidade, Silvio Rodrigues destacou que o Vale do São Francisco precisa de um hospital público exclusivo para tratar casos de cardiologia. Segundo ele, boa parte da demanda da região é enviada para Recife, sobrecarregando dois hospitais da capital: o Agamenon Magalhães e Procape.

Cardiologia no HU

Em visita ao Hospital Universitário, na quinta-feira (6) passada, os representantes das entidades médicas questionaram por que muitos pacientes cardiológicos estão internados na unidade de saúde se haveria convênio com outros hospitais da região.

“Nós encontramos pacientes cardiológicos dentro do HU, sendo tratados na área amarela que vem funcionando como uma segunda UTI. Iremos pedir esclarecimentos sobre isso, já que o hospital não é direcionado para cardiologia. Por que as unidades de saúde credenciadas pelo SUS, como Promatre e Memorial, não estão recebendo esses pacientes?”, questionou.

2 COMENTÁRIOS

  1. O sindicatos dos médicos para não atingir o governador, esquece, de cobrar do governador do estado a construção do nosso hospital regional. Petrolina é única grande cidade do nordeste que não não tem o seu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome