Entidades empresariais e governo municipal analisam impactos do novo coronavírus no comércio de Petrolina

1
Foto: Ascom Sindilojas/divulgação

Os impactos econômicos provocados pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19) no comércio de Petrolina foram analisados numa reunião realizada ontem (30/04) entre o presidente do Sindilojas, Joaquim de Castro, o da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Manoel Vilmar,  o diretor da CDL Valdivo Carvalho e o prefeito Miguel Coelho. A conversa aconteceu através do aplicativo Zoom.

As duas instituições já vêm conversando com a administração municipal e elencando sugestões para a abertura gradual do comércio varejista, a exemplo de horários diferenciados, reforço nas medidas preventivas contra o Covid-19, orientação para colaboradores, parceiros e fornecedores – dentre outras. Vale salientar que na quinta-feira o governador Paulo Câmara renovou as medidas restritivas, através do Decreto 48.973, que pontua a suspensão das atividades econômicas consideradas não essenciais. O fechamento do comércio, além de alguns serviços,  continua até o dia 15 de maio.

Nós temos consciência de que todo o cuidado com a saúde é extremamente importante e necessário. No entanto, também olhamos para o lado social. Muitas pessoas já estão desempregadas na cidade – estima-se em cerca de duas mil – e a tendência é esse número ampliar, porque o período de férias adotado no início da pandemia finaliza agora. Os lojistas têm encontrado, na prática, dificuldades para adotar os planos emergenciais disponibilizados pelo governo, a exemplo do financiamento da folha e suspensão dos contratos de trabalho“, destacou o presidente do Sindilojas, Joaquim de Castro.

Durante a reunião virtual, dentre outras sugestões, foi colocada a importância de flexibilizar, de imediato, setores como óticas, distribuidoras de embalagens e cosméticos. Manoel Vilmar, presidente da CDL, pediu uma análise e trabalho em conjunto para uma reabertura gradual das lojas, com os cuidados necessários. “Nós sabemos da importância do isolamento social, mas pedimos analisar também a situação crítica de muitos setores de nossa economia. A ideia é que alguns segmentos possam recomeçar os atendimentos com horários diferenciados e seguindo protocolos para evitar a transmissão da Covid-19“, pontuou.

Sensível

O prefeito de Petrolina se mostrou sensível a toda situação e fez questão de ressaltar que não está alheio a  questão socioeconômica. “Imagino que não tem sido fácil para nenhum setor. Mas peço a compreensão de todos vocês. O momento é delicado, estas medidas restritivas são importantes para que a gente evite uma situação de contaminação na cidade. E a gente está mantendo conversas com o governo do Estado, sugerindo algumas alternativas“, disse Miguel Coelho.

A exemplo do Estado, o gestor municipal publicou um novo decreto renovando as medidas restritivas de combate ao coronavírus, como este Blog divulgou nesta sexta (1).

1 COMENTÁRIO

  1. Sou comerciante e tenho pontos de alugueis no centro mas sei que não está na hora de abrir nada, agora que o Virus Chinês (Cocid-19) começou a crescer em Petrolina e seria uma inrresponsabilidade de Miguel abrir o Comércio em um mais critico da contaminação.

    Eu entendo que precisamos pensar nesse momento na vida humana hoje.

    Miguel Coelho não seda a nada, Seja essa pessoa justa e verdadeira com o povo de Petrolina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome