1 COMENTÁRIO

  1. Em abril relembraremos mais uma vez a tragédia trazida pela ditadura militar, em diversos países latino-americanos, resultando em desaparecidos políticos e que trouxe sofrimento pessoal com a prisão violenta de vários companheiros, dentre os quais quase 500 “desaparecidos”.
    Não é uma data para ser comemorada, e sim, para ser lembrado o seu fim e, também, tantos mártires que sofreram, tombaram, morreram, foram exilados, presos – como a então atual Presidenta do Brasil Dilma, o grande compositor e músico Caetano Veloso, o grande político Leonel Brizola e tantos outros- e até os que desapareceram sem que até hoje não se saiba nada dos restos mortais, como o nosso grande RUY FRAZÃO SOARES, que residia na nossa cidade de Petrolina, feirante e um lutador político. O qual em 27 de maio de 1974, foi de modo brutal preso e espancado publicamente na Feira de Petrolina.
    Por esse motivo, eu, Geraldo da Acerola – Vereador de Petrolina, encaminharei um projeto de lei em momento de sessão solene, que nomeará uma das feiras da cidade com o nome desse mártir petrolinense, RUY FRAZÃO SOARES.
    “Assim, tomando emprestado palavras e canção de Caetano Velozo, lembramos Rui Frazão Soares para quem amar e viver foram ações conjugadas com alegria e sorriso; sorriso de quem sabe por que morreu e para que viveu.” Palavras da irmã de Ruy Frazão, Célia Frazão Soares Linhares.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome