Encontro em Sobradinho discute oferta de linhas de crédito para piscicultores e agricultores familiares

0
Foto: Ascom PMS/divulgação

Um encontro em Sobradinho, no norte da Bahia, realizada na última sexta-feira (18) no plenário da Câmara de Vereadores, reuniu representantes da prefeitura, do Banco do Brasil (BB) e produtores rurais. O objetivo foi o de fortalecer ações voltadas à piscicultura e a agricultura familiar do município por meio da oferta de linhas de crédito. Essa articulação é uma parceria entre a Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, o Conselho de Desenvolvimento Sustentável do BB e empresa Geotec.

O secretário da pasta, Leneíldo Monteiro, fez a abertura do encontro e falou dos avanços conquistados pelos pequenos produtores do município. “O prefeito Luiz Vicente, por entender as dificuldades de financiamento enfrentadas pelos produtores locais, está buscando consolidar parcerias com várias entidades que oferecem suporte ao pequeno produtor, como é o caso do Bahia Pesca, do Sajuc, do IRPAA, da Colônia de Pescadores, do Banco do Brasil, entre outras. A gestão também conta com o apoio do poder Legislativo na aprovação de importantes projetos como a Lei de implantação do Serviço de Inspeção Municipal (SIM), que busca o fortalecimento da produção no campo em nossa cidade”, destacou.

O assessor de Agronegócios do BB, Waldez Murilo Teles de Mendonça, apresentou dados e orientações técnicas para aquisição das linhas de crédito. “É considerado um cuidado fundamental a contratação de uma empresa de assistência técnica, tanto para realizar o levantamento de informações necessárias para o cadastro junto à instituição financeira, bem como a elaboração de um projeto técnico-financeiro do empreendimento. Além disso, a assistência técnica pode, ao longo do processo, solicitar junto ao agente financeiro, o acionamento de mitigadores de risco ou a abertura de processo de alongamento de dívidas mediante laudos específicos“, explicou

Já o representante da Geotec, Fancelito Cunha Souza, elencou pontos essenciais para que o produtor esteja apto a ter acesso ao financiamento. “Os principais cuidados que devem ser tomados pelo produtor são: documentação comprobatória em ordem e sem restrições, não apresentar restrições no sistema financeiro, capacidade de pagamento, não apresentar restrições de cunho ambiental ou trabalhista. Vale ressaltar ainda que o crédito rural não pode ser usado para financiar dívidas ou atividades deficitárias ou outra atividade que não seja fim para o qual foi contratado para que não se cometa desvio de finalidade“, esclareceu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome