Empreendedores e produtores rurais de Petrolina terão acesso a duas novas linhas de crédito da prefeitura

1
Foto: Ascom PMP/divulgação

Quem pretende abrir uma pequena empresa ou é produtor rural em Petrolina, terá mais um estímulo para investir em seu negócio. A prefeitura abriu duas linhas de crédito a baixos juros, voltadas para esses dois setores, com valores que podem chegar a R$ 25 mil. A medida já foi publicada no Diário Oficial e está à disposição dos interessados na Agência do Empreendedor (AGE).

Os recursos são destinados a empreendedores do comércio, serviços, indústria e agricultores familiares. A linha Masterplus garante empréstimos de R$ 8 mil a R$ 15 mil, com taxa de apenas 1,6% de juros ao mês. Uma das vantagens, além dos juros baixos, é que o empreendedor pode dividir em 20 vezes, com a primeira parcela podendo ser paga só depois do terceiro mês do contrato assinado.

A outra linha de crédito (Gold), varia entre R$ 15 mil e R$ 25 mil, também com 1,6% de juros ao mês. Neste caso, o empréstimo pode ser quitado em 25 meses, com a primeira parcela prevista também após três meses do contrato. “É um apoio importante para quem precisa comprar uma máquina nova, ampliar o atendimento ou até abrir uma empresa e não tem o dinheiro para investir. Ganha o empreendedor, ganha a população com novos serviços e empregos e ganha a cidade com uma economia mais dinâmica”, explica o prefeito Miguel Coelho.

A negociação deve ser realizada na sede da Agência do Empreendedor (AGE), instituição municipal que cuida do estímulo ao empreendedorismo em Petrolina. A equipe de atendimento fica localizada na Rua Castro Alves, nº 55, no Centro, por trás do Banco do Brasil. A AGE oferece também empréstimos das linhas Popular (até R$ 2 mil), Plus (até R$ 4 mil), Megaplus (até R$ 8 mil), além de consultoria gratuita para quem deseja não errar nos negócios.

1 COMENTÁRIO

  1. A população deveria ser consultada onde investir o dinheiro dos impostos. A Prefeitura agora virou banco? Os valores são altos. Como vai ser a garantia disto aí. Deveria era reduzir o valor do IPTU ou aplicar em calçamento de vias públicas e solucionar a questão dos bairros que não tem cobertura de saneamento por conta de problemas com os sistemas de coleta que a Prefeitura construiu e a Compesa não recebeu ou alega não ter recebido por conta destes problemas. o SEBRAE e o BNB já tem esta missão de promover o microcrédito. A Prefeitura não pode esquecer de sua missão primordial.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome