Em sua passagem por Petrolina e Juazeiro, Dilma entrega casas e dá “aula” sobre Aedes

2

Na manhã de hoje (19), em Petrolina, a presidente Dilma Rousseff (PT) e o prefeito Julio Lossio inauguraram as 2.432 moradias dos residenciais Vivendas I e II, do ‘Minha Casa, Minha Vida’. Ao lado do governador Paulo Câmara (PSB), do ministro da Defesa, Jaques Wagner, do senador Humberto Costa (PT) e várias outras lideranças políticas, a presidente deixou um pouco de lado o discurso sobre o programa Minha Casa, Minha Vida e enfatizou a Mobilização Nacional da Educação Zika Zero, ação de realizada nesta sexta-feira (19) em escolas de todo o País.

“Um mosquito não pode derrotar 204 milhões de pessoas, nós somos muito mais fortes que esse mosquito”, afirmou. “Nós vamos usar todos nossos recursos para garantir uma vacina contra esse vírus. Mas até a gente criar a vacina, produzir e distribuir, nós temos de combater o vírus de qualquer jeito. E como é que a gente combate esse vírus se não tem vacina? Só tem um jeito, é que cada um de nós use 15 minutos uma vez por semana e limpe onde tiver água parada”.

Durante seu discurso, a presidente também reafirmou que, ainda em maio deste ano, deve anunciar a terceira etapa do Minha Casa, Minha Vida, algo que ela já havia destacado no final do ano passado, quando inaugurou o Residencial Juazeiro I, no bairro Itaberaba, em Juazeiro (BA).

Após sua passagem por Petrolina, a presidente foi até Juazeiro (BA), onde visitou a Moscamed Brasil, primeira biofábrica de produção de mosquitos transgênicos do Aedes aegypti do mundo. Dilma conheceu o método inovador que impede a proliferação do mosquito macho ao torná-lo estéril (por algum tipo de radiação) ou inserindo nele um gene letal que, ao ser repassado a fêmea natural, gera mosquitos que morrem quando ainda são larvas.

“Aula” sobre Aedes

dilma em juazeiro

Aina na cidade baiana, a presidente deu uma “aula” para alunos do Colégio da Polícia Militar (CPM) Alfredo Vianna, sobre formas de evitar a proliferação de criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus. O objetivo é aproveitar o período de volta às aulas e o alcance das redes federal, distrital, estaduais e municipais de educação, em todos os níveis, para incentivar os estudantes a transmitirem as informações aos familiares e fazerem a fiscalização em casa.

A mobilização é parte das ações do Pacto Nacional da Educação Brasileira contra o zika, firmado no inicio do mês entre o Ministério da Educação, representantes do governo federal e instituições de ensino, públicas e particulares. (foto1: Roberto Stuckert Filho/PR/foto2: reprodução TV NBR)

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

nove + doze =