Em Petrolina, Medonça Filho garante que continuará com trabalho “focado na educação”

7
Foto: Ivaldo Reges/divulgação

Em reunião com trabalhadores rurais em Petrolina, nesta quinta-feira (16), o candidato ao Senado pela Frente das Oposições ‘Pernambuco Vai Mudar’, Mendonça Filho (DEM), destacou que se eleito, pretende continuar um trabalho focado na educação. “É uma felicidade estar com trabalhadores marcando o início da nossa campanha. Eu quero ser o senador da Educação, que é o único caminho para o desenvolvimento do País”, destacou Mendonça Filho.

Ele visitou a fazenda Frutos do Sol, no N-5, acompanhado do candidato a governador, Armando Monteiro Neto (PTB), a vice, Fred Ferreira e do seu colega ao Senado, Bruno Araújo, bem como o prefeito Miguel Coelho (PSB), do candidato a deputado estadual, Antônio Coelho (DEM) e o do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB). O encontro com os cerca de 200 trabalhadores rurais da fazenda marcou o pontapé inicial da campanha.

Por cerca de dois anos estive à frente do MEC, a Educação do País, setor de maior de maior transformação do Brasil. Pude trabalhar muito por Pernambuco, em Petrolina viabilizamos 10 creches, destravamos obras de oito escolas, entre elas a construção da Escola municipal João Nunes, na área irrigada do projeto Maria Tereza“, detalhou.

Na gestão de Mendonça no MEC, somente para Petrolina foram concluídas seis coberturas de quadras, autorizadas 10 obras de creches, oito obras de escolas, abertura de 6 novas escolas em tempo integral e dois novos ônibus. No IF Sertão-PE/Campus Petrolina não foi diferente. Além de uma ampliação do campus, ele garantiu a obra da residência estudantil. Para fechar, a Univasf, onde Mendonça tem uma longa história desde quando governador (quando doou o terreno para a implantação da universidade) e como ministro garantiu que a obra da policlínica-escola, a qual passou oito anos em curso, fosse concluída.

7 COMENTÁRIOS

  1. Os terrenos da Univasf tanto a sede (Reitoria) da Universidade, quanto ao do campus centro, eram da União (apesar de existir uma pendenga com o município que alega que permutou essa área do antigo aeroporto com a do novo Aeroporto Internacional do Vale do São Francisco/Nilo Coelho). E o do Campus Ciências Agrárias foi doado pela Codevasf, empresa pública federal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome