Em meio a críticas e muitas propostas, candidatos a prefeito de Petrolina vão para primeiro embate

4

debate univasf6

O primeiro debate entre os cinco candidatos a prefeito de Petrolina – Miguel Coelho (PSB), Edinaldo Lima (PMDB), Odacy Amorim (PT), Adalberto Cavalcanti (PTB) e Perpétua Rodrigues (PSOL) – trouxe um roteiro já esperado. Promessa de um governo de continuidade da atual gestão municipal, Edinaldo recebeu as maiores críticas durante o evento, realizado na manhã desta quinta-feira (18) no Campus Sede da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf).

Pautas como o fechamento do matadouro e a destruição do Centro de Abastecimento de Petrolina (Ceape) apimentaram as discussões, que já começaram entre Miguel Coelho e Edinaldo quando ambos trataram de investimentos para famílias do campo.

O socialista afirmou que, entre suas propostas de governo, está a implantação de um novo distrito industrial, que vai abranger também um novo Ceape. Miguel destacou ainda as parcerias que fará para viabilizar um cursinho pré-vestibular para alunos de escolas municipais. Prometeu ainda investir, junto com o governo do estado, para trazer a Petrolina o ‘Armazém da Criatividade’, nos moldes do Porto Digital, no Recife.

Sobre os serviços de água e esgoto, Miguel prometeu que irá trabalhar baseado no exemplo de Jundiaí (interior de São Paulo), considerada modelo em saneamento. “Queremos recuperar o tempo perdido, fazer mais por Petrolina, retomar sua vocação, os empregos, para que volte a ser referência”, afirmou.

O candidato de Lossio, de uma só tacada, rebateu Miguel e o candidato Adalberto Cavalcanti (PTB). Em relação ao socialista, Edinaldo lembrou que o pai dele, o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB), quando foi secretário de Desenvolvimento Econômico no primeiro Governo Eduardo Campos “trouxe zero de indústria” para o município. Também lembrou que FBC atrasava salários dos servidores, bem como a prefeita de Afrânio (PE) Lúcia Mariano – esposa de Adalberto – ao contrário do que priorizou o Governo Lossio. Sobre geração de empregos, o candidato governista disse ter propostas para fortalecer a agricultura familiar.

Ele ressaltou que um dos seus planos é transformar a área ribeirinha num vale de vinhedos, estimulando a vitivinicultura em Petrolina. Quanto ao setor de água e esgoto, Edinaldo citou o programa ‘Petrolina Saneada’, que vai melhorar a qualidade dos serviços a partir da municipalização do abastecimento d’água e saneamento. “É possível fazer novos avanços. Sabemos como correr atrás dos recursos”, ponderou. O candidato justificou, quanto ao Ceape, que o modelo “era ultrapassado”, tanto que mais de 90% dos permissionários aceitaram fazer acordo com a prefeitura para sair do local.

Termo de compromisso

Irônico, Adalberto Cavalcanti rebateu no mesmo tom as críticas de Edinaldo em relação ao atraso no pagamento dos servidores municipais de Afrânio. “Se minha esposa tivesse feito uma administração ruim, não tinha sido reeleita”, disse. O candidato garantiu que, caso eleito, fará a mesma ‘revolução’ que fez em Afrânio, sua cidade-natal, quando governou por dois mandatos. Disse, entre outras coisas, que fará um novo matadouro e Ceape, comprará novos caminhões de lixo e fará um São João muito melhor, gastando um terço do valor investido pela atual administração. “Do jeito que eu mudei Afrânio, que antes era motivo só de chacotas, vou mudar Petrolina”.

Os candidatos Odacy Amorim e Perpétua Rodrigues focaram o debate muito mais nas suas plataformas de governo. Ex-prefeito em 2007 e 2008, Odacy ressaltou que durante sua gestão teve a oportunidade de entregar obras como o antigo Hospital de Urgências e Traumas (atual HU), a duplicação da Ponte Presidente Dutra e a Univasf.

O petista afirmou que seu programa de governo baseia-se em três eixos: ambiental, social e econômico. “Deixamos a semente plantada para continuarmos esse trabalho”, ressaltou.

Perpétua Rodrigues destacou investimentos que fará, se eleita, na área de cultura. Também assegurou que fará concurso público sempre que houver necessidade, e vai valorizar o Plano de Cargos e Carreira dos servidores. Oriunda da saúde pública, ela disse que também investirá no SUS e priorizará o Plano Diretor Participativo, implantando mini-prefeituras nos bairros de Petrolina. Também assegurou que no seu governo o papel da mulher será relevante, até porque sua vice é a ex-dirigente sindical Isabel Macedo.

No final do debate, os cinco candidatos assinaram um termo de compromisso para investirem em ações e educação ambiental. (foto/reprodução TV Caatinga)

4 COMENTÁRIOS

  1. Candidatos aprendam: centralização é uma lástima e Petrolina só será 100% saneada se tiver o controle total sobre o o serviço de água e esgoto, pois o dinheiro arrecadado será investido aqui, nada de mandar para os outros e receber migalhas de volta!

    • Amigo,na teoria é bonito,mas na prática é diferente.petrolina não tem capacidade de cuidar de saneamento não.se com o estado com todo investimento que ta tendo nao consegue ficar 100% imagina o municipio cuidando…julio lóssio ta atras de grana pro bolso dele.

  2. cara de pau de Adalberto quando fala mudei Afrânio ,o que Afrânio mudou seu irmão Raimundinho foi prefeito duas vezes,fez sucessor Adalberto duas vezes esposa uma somando dar 24 anos ate onde tenho conhecimento e quais as mudanças , crescimento zero cidades bem novinhas a citar dormentes ,lagoa grande são mais desenvolvidas do que Afrânio ,e se não tiver cuidado rajada passa. petrolina tenha critério Adalberto aponta para o atraso de uma cidade que não para de crescer. para lembrar Afrânio vive a sombra e dependência de petrolina as ambulância de Afrânio não param de transitar pelas ruas de petrolina em busca de socorro a cidade encolhe com saída de seus moradores em busca de tudo que petrolina tem a oferecer

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome