Em mais um desafio pela Liga Nordestina de Futebol Americano, time do Carrancas quer ir cada vez mais longe

0

Formado há cinco anos em Petrolina, o time de futebol norte-americano do Carrancas terá mais um desafio em sua trajetória de se consolidar no cenário desse esporte, que a cada ano vem ganhando mais admiradores no país. A equipe enfrentará neste domingo (29), às 17h, no Estádio Paulo de Souza Coelho, a equipe do Arcoverde Templários. O duelo é válido pela primeira rodada da Liga Nordestina – o equivalente a uma segundo divisão do Campeonato Brasileiro.

Para provar que não quer ser um mero figurante na competição, o time de Petrolina mostra seu cartão de visitas com duas contratações de respeito: o atleta Jeremy Jr., de 27 anos, que atua na posição de free safety, e Leach Jr., de 26, que joga como wider receber. Já deu para perceber que os dois são dos Estados Unidos, onde o esporte é altamente popular.

E ambos chegam com um currículo que vai desde a atuação em times escolares até semiprofissionais em seu país de origem. Eles se somarão a um elenco que já conta com Haynner Araújo (corner back, ex-Mariners do Recife-PE), Gil Silva, Francisco Pedro (Pepo), João Victor, Damião Pereira (Biô), Jeferson Pereira, Sérgio Carlos e Rafael Pereira – destaques do Carrancas.

Jeremy e Leach ficarão até o final do ano no Carrancas, quando acontecerá a final da Liga. Em entrevista ao Blog, os dois se mostraram com boas expectativas de ajudar o time a alcançar seu objetivo: ser campeão. Haynner, que também participou da entrevista, serviu de intérprete, já que os dois ainda não falam português.

Crescimento

Tanto Jeremy quanto Leach são consensuais em afirmar que jogar no Brasil é uma boa oportunidade para expandir o esporte. “Acho que a liga está crescendo rápido. Nos Estados Unidos há várias ligas profissionais e semiprofissionais que não oferecerem a estrutura que o Brasil oferece”, destaca Jeremy. “Isso certamente vai aumentar nossas credenciais”, completa Leach. Os dois já estão habituados à cidade. Já experimentaram até churrasco e gostam do clima de Petrolina, até porque também vêm de uma região considerada quente dos Estados Unidos – o Estado da Carolina do Sul. “Por mim, ficávamos o resto da vida em Petrolina”, garante Leach.

Em seu segundo ano disputando a Liga Nordestina, o Carrancas vem arregimento apoios importantes do empresariado local, a exemplo de Cláudio Barros (da Revale),que ajudou a viabilizar os reforços norte-americanos. O bom número de pessoas que comparecem ao estádio para os jogos do time também aponta um futuro animador para o time petrolinense. “Já recebemos um público com mais de 2,4 mil pessoas. Torcida também ganha jogo, e quanto mais apoio tivermos, melhor. Temos total capacidade, talento e organização para crescermos”, finaliza Haynner.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome