Em João Pessoa, Lucas Ramos detalha riscos que venda da Chesf e de outras estatais representam para o NE

2

A Câmara Municipal de João Pessoa (PB) promoveu, nesta semana, uma audiência para discutir as propostas de privatização de empresas públicas apresentadas pelo Governo Federal. O presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Chesf na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), deputado Lucas Ramos (PSB), representou o colegiado no evento e detalhou na capital paraibana os riscos que a venda da Companhia e de outras estatais representam para o Nordeste.

O Governo Michel Temer apresentou ao Brasil um pacote de privatizações que envolve 57 empresas nacionais, entre elas boa parte do sistema elétrico, incluindo a Chesf. Não podemos deixar que coloquem na prateleira um patrimônio tão importante para os brasileiros, apenas para cobrir o rombo das contas públicas provocado pela má gestão“, enfatizou Lucas. “Neste processo também estão incluídos os Correios, bancos públicos, a exemplo da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil, Casa da Moeda, terminais portuários, rodovias e aeroportos como o de João Pessoa“, lembrou.

O parlamentar salientou os efeitos negativos que a venda da estatal responsável pela geração e distribuição de energia elétrica para o Nordeste pode acarretar para a região. “A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) confirmou que a tarifa pode ser reajustada em 16,7% e isso terá influência direta na produção industrial, com o aumento dos custos sendo repassado para o bolso do trabalhador brasileiro e afetando a nossa economia“, afirmou Lucas.

Riscos

De acordo com o deputado, a privatização da Chesf também coloca em risco políticas públicas de usos múltiplos do Rio São Francisco – como o abastecimento humano, a utilização na agricultura irrigada e a pesca artesanal. “Quem comprar a Chesf irá controlar o Velho Chico, e não teremos a certeza de que suas águas continuarão beneficiando os nordestinos. Na Paraíba, por exemplo, a transposição é fundamental para a perenização dos Rios Piranhas-Açu e Paraíba, que abastecem as barragens de Engenheiro Ávidos, São Gonçalo e Boqueirão. Com a venda da estatal, não temos essa garantia“, declarou.

A audiência pública foi solicitada pelo vereador Marcos Henriques (PT) e contou com a presença do deputado estadual pela Paraíba, Anísio Maia (PT), da vereadora Sandra Marrocos (PSB), além de representantes de sindicatos e de movimentos sociais com atuação na capital paraibana. (foto: Assessoria/divulgação)

2 COMENTÁRIOS

  1. Mas uma vez falo sou a favor da privatização, estes nomes citados como Correios caixa econômica e banco do Brasil o atendimento é um lixo,e quem deixou eles se transformarem em um atendimento de má qualidade foi o gorverno do PT,se tiverssem dando resultados não tinha porque privatizar,mas só da prejuízo ao Brasil,e atendimento a população de má qualidade.

    • É claro que você está coberta de razão,haha vista o excelente atendimento que você,”com certeza”, tem no Bradesco, sem filas e atendimento pronto e de qualidade,assim como a ótima gestão da Oi, a qual querem que cobramos o tombo de R$ 65bi deixado até o momento por esse belo exemplo de gestão privada. Com certeza você bateu panelas e fez a dancinha ridícula pela saída do PT e agora está satisfeitissima com esse desgoverno pífio.

Deixe uma resposta para Valderlan Cancelar resposta

Comentar
Seu nome