Eleições 2014: Em debate, Câmara defende gestão de Eduardo e equilíbrio da máquina administrativa do estado

0

câmara debateManter a máquina pública equilibrada e garantir a continuidade do bom momento pelo qual passa a economia de Pernambuco, construído na gestão de Eduardo Campos (PSB). Estes foram os motivos ressaltados por Paulo Câmara (PSB) para aceitar o desafio de ser o candidato a governador pela Frente Popular. A afirmação foi feita pelo socialista durante um debate ontem (22) com o adversário Zé Gomes (PSOL), promovido pelo Clube de Engenharia de Pernambuco e pela Associação das Empresas de Planejamento e Consultoria Empresarial do Nordeste (ASSEMP).

“Como secretário em três pastas, eu participei da idealização, implantação e consolidação desse modelo de gestão, que mudou Pernambuco, provocando desenvolvimento, melhorando os indicadores sociais, e, ao mesmo tempo, reduzindo o endividamento, ampliando a poupança e a capacidade de investimento. Eu sei o estado que vou encontrar”, explicou o socialista.

Câmara também ressaltou a capacidade de investimento de Pernambuco. “Elevamos de R$ 800 milhões para R$ 3,7 bilhões a nossa capacidade de investimento na gestão de Eduardo. Pernambuco é o quarto estado brasileiro que mais investe, e o primeiro, se levarmos em conta a proporção com a receita corrente líquida. Fizemos um governo eficiente, com planejamento e regras claras, capaz de tirar as ações do papel, de fazer de Pernambuco um estado competitivo, depois de 40 anos de declínio. Vivemos um novo momento”, avaliou o candidato.

Reformulação

Câmara citou, ainda, o aumento da participação do estado no Produto Interno Bruto (PIB) da região Nordeste, de 21% para 24%; a atração de novas cadeias produtivas, que gerou um PIB industrial de 14,3%; e um total de R$ 64 bilhões de investimentos externos recebidos, neste período.

Segundo o socialista, a reformulação da máquina governamental e o crescimento econômico vieram acompanhados de melhorias também nos indicadores sociais. Ele reforçou que o desenvolvimento sustentável e a qualidade de vida também são prioridades desse “novo Pernambuco” que irá administrar, caso seja eleito em outubro. As informações são da assessoria. (Foto/Aluísio Moreira/divulgação)

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome