Em audiência pública na Casa Plínio Amorim, representantes da Celpe rebatem críticas informando sobre investimentos

2

IMG_20140410_121806_532_640x360audiência celpe petrolinaCom presença de público abaixo da esperada, a Casa Plínio Amorim realizou na manhã desta quinta-feira (10) mais uma audiência pública, desta vez para tratar das queixas da população petrolinense acerca dos serviços prestados pela Celpe/No energia. Após questionamentos dos nove vereadores presentes ao evento, sobretudo em relação às responsabilidades da Companhia e da prefeitura municipal no setor de iluminação pública, a palavra foi franqueada a algumas pessoas presentes na audiência.

As principais críticas giraram em torno da falta de energia e das constantes quedas na rede em vários bairros da cidade; a cobrança da taxa de iluminação sem o serviço estar sendo oferecido; e a arbitrariedade de funcionários da Majestosa (empresa terceirizada responsável pelo serviço), que em alguns casos cortam o fornecimento de energia sem esperar uma justificativa por parte do cliente.

Atento a todas as indagações, o gerente do Departamento de Serviços de Rede (PSR) da Celpe no Recife, Roberto Boquetti Júnior, comprometeu-se em tomar providências sanar os problemas. Ele contestou, no entanto, quanto à falta de investimentos em Petrolina, garantindo que os mesmos estão acontecendo. A informação foi ratificada por Luís Carlos Pereira, gestor da Unidade de Atendimento da Celpe em Petrolina.

De acordo com Pereira, a empresa – que atende a 17 municípios sertanejos – investiu só em Petrolina mais de R$ 9,1 milhões em 351 projetos de extensão de rede. Ele afirmou ainda que somente nos três primeiros meses de 2014 já foram aplicados mais de R$ 7 milhões em 153 projetos, o que dá a implantação de 1.501 postes. A meta, segundo o gestor regional, é passar dos R$ 20 milhões. Também participaram do debate o advogado Pedro Patriota, representando o deputado federal Gonzaga Patriota, e o presidente da CDL, João Ferreira.

2 COMENTÁRIOS

  1. A qualidade da energia em Petrolina é péssima. As oscilações são constantes, o que acarreta em queima de equipamentos em nossas casas. Isso tem a ver com a capacidade instalada. O valor investido pela Celpe em melhorias na estrutura de distribuição pode até impressionar os leigos, mas na verdade é uma merreca comparado ao faturamento aqui em Petrolina. Além disso, a implantação de postes não resolve esse tipo de problema, e sim amplia a rede atendida (e o faturamento) da Celpe. Por favor, não nos tratem como idiotas!

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome