Em artigo, leitor questiona leilões do Country Club em Juazeiro

4

O lazer e alegria deram lugar ao abandono e a um amontoado de dívidas. É exatamente assim que está o Country Club, em Juazeiro. Um dos sócios do clube, o leitor João B. de Mello, escreveu ao Blog revoltado com a situação em que se encontra o local. Ele questiona os leilões anunciados pela Justiça e lamenta o abandono quando fala que o Country “agoniza” e é alvo constante de vândalos.

Confiram seu relato:

“Como sócio remido do São Francisco Country Club, venho questionar a Justiça trabalhista e a Justiça Federal sobre os anunciados leilões do tradicional Country Club de Juazeiro.

Sabemos que há um ano o Ministério Público Federal (MPF), em Petrolina, ordenou que o Ibama em Juazeiro embargasse a ilha do Country Club, inaugurada há 13 anos, levando o mesmo, que já vinha mal das pernas, à falência total. Quase todos os sócios deixaram de pagar a mensalidade de 30 reais. A justiça fecha a ilha do clube alegando que a mesma está dentro da APP (Área de Preservação Permanente) dos 500 metros. Sendo assim, porque não fechou a marina do Iate de Petrolina? E a Ilha do Sol? As barracas do Rodeadouro? A sede da Univasf E tantas outras edificações? Os sócios e seus convidados não podem usar a ilha que está tomada por vândalos que queimam tudo por lá. E a Justiça não faz nada.

Pelo que se tem conhecimento, o clube está penhorado pela Justiça do Trabalho há tempos, cuja dívida ultrapassa 1 milhão e 700 mil reais. O local foi levado a leilão em Senhor do Bonfim por uma questão de 1997 e outra de 2005, mas ninguém arrematou. Agora é a Justiça Federal que está anunciando um novo leilão para o dia 9 de novembro. A dívida do Country Club com a Fazenda Federal, segundo se sabe, ultrapassa mais de 1 milhão e 500 mil reais. Toda esta dívida acumulada ao longo de décadas e a bomba explode agora.

Então, eu pergunto: Se alguém arrematar o clube neste leilão de sexta feira, pelo valor mínimo de 2 milhões de reais, leva? E o restante das sentenças e das dívidas com a Justiça do Trabalho e a Justiça Federal, que chegam a mais de 3 milhões de reais?

Acredito que este é mesmo um problema federal e ninguém brinca de apostar dinheiro em pepino grande. A Justiça trabalhista avaliou o clube em 6 milhões de reais e a Federal em 4 milhões. Pode existir essa contradição?

Na última reunião que participei, a diretoria mostrou vários processos impagáveis. Sem dinheiro para nada, o velho Country Club, desprezado por todos e alguns que ainda preferem apenas acusar e procurar culpados, agoniza e vai empurrando com a barriga vazia.

João B. de Mello/ Leitor

4 COMENTÁRIOS

  1. Não sou a favor de algumas medidas extremas que o MPF vem tomando na regiao, mas em relação ao Conutry Club não poderia ser diferente. Privatizar uma ilha é por demais absurdo. Assim como os condomínios nas duas cidades e o Círculo Militar, que mopolizam as respectivas margens do rio. Agora, os restaurantes do Rodeadouro; a obra da UNIVASF; a futura Orla III e outras são para todos.

  2. Infelizmente, isso parece ser uma medida visando denegrir a imagem da cidade. Acabar com um espaço de lazer dos juazeirenses. Pois se a ilha do Country está em área de APP (Área de Preservação Permanente), muitos outros ambiente também o estão, principalmente em Petrolina, como o Iate Clube, o Círculo Militar, Ilha do Sol, a parte rebaixada da Orla de Petrolina… Então porque o o MPF (em Petrolina) não manda embargar essas edificações? Só porque ficam em Petrolina? Tem coisa estranha aí… Não vamos ficar calados.

  3. Tudo bem. Não se deve privatizar ilhas. Porém já que o clube já se utiliza da ilha como parte itegrante das suas intalações, já fez um investimento nas piscinas e equipamentos, nada mais justo que ceder a ilha e parte da APP para o clube. Poderia ser feito um acordo a título de concessão. Por exemplo, o clube teria direito de utilização da ilha por 30 anos. Nesse período seriam avaliadas as condições de preservação, conservação e respeito ao meio ambiente e as ações do clube para recuperação de matas ciliares e manutenção da APP. Assim, caso essas avaliações não tivessem dentro do esperado o clube perderia o direito à utilização e seria aberto concorrência pública para tal. Simples assim…

    • A mata ciliar ao redor da ilha do country esta intacta e completamente preservada, os equipamentos se encontram no centro da ilha. É só olha nas fotografias aéreas. Inclusive a do post.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome