Eleições 2022: Forças Armadas farão contagem paralela de votos e TSE reage

por Carlos Britto // 12 de setembro de 2022 às 19:06

Foto/reprodução

A ‘guerra’ velada entre o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e as forças armadas ganhou nesta segunda-feira (12) um novo capítulo. Após o anúncio dos militares de que farão uma apuração paralela, em tempo real, com 385 urnas eletrônicas após o encerramento da votação no próximo dia 2 de outubro, a resposta não demorou.

Em relação à apuração das Eleições 2022, não houve nenhuma alteração do que definido no primeiro semestre, nem qualquer acordo com as Forças Armadas ou entidades fiscalizadoras para permitir acesso diferenciado em tempo real aos dados enviados para a totalização do pleito eleitoral pelos TREs, cuja realização é competência constitucional da Justiça Eleitoral”, ressaltou o TSE, na página eletrônica da instituição.

O Tribunal reiterou informação amplamente divulgada em junho deste ano, sobre a contagem de votos a partir da somatória dos boletins de urnas há várias eleições, que para o pleito deste ano foi implementada a novidade de publicação desses boletins pela rede mundial de computadores, após o encerramento da votação para acesso amplo e irrestrito de todas as entidades fiscalizadoras e do público em geral.

Independentemente dessa possibilidade, como ocorre há diversas eleições, qualquer interessado poderá ir às seções eleitorais e somar livremente os boletins de uma, de dez, de trezentas ou de todas as urnas”, concluiu o TSE.  A decisão das forças armadas em fazer uma contagem paralela, em tempo real, das urnas, será algo inédito na história da democracia brasileira.

Eleições 2022: Forças Armadas farão contagem paralela de votos e TSE reage

  1. Defensor da liberdade disse:

    Opa, desvio de finalidade. Ora de acionar a justiça militar e os responsáveis devem ser afastados do cargo. Até onde eu sei a lei eleitoral não diz que as forças armadas devam fazer contagem de votos.

  2. Irineu disse:

    Parabéns as forças armadas, tem que fazer isso mesmo!

  3. Irineu disse:

    STE e STF estão muitos preocupados, será que estão escondendo algo?

  4. BOSCO disse:

    Só pq os Bolsonarista querem . Força não tem nada haver com apuração de voto. O papel delas são outros. O choro é livre gado

  5. PENSADOR disse:

    Toda essa polêmica se traduz em poucas palavras,
    NÃO HÁ INTERESSE NA TRANSPARÊNCIA. O correto seria os ÓRGÃOS fiscalizadores fazerem a apuração, contagem final ou coisa que o valha, juntamente com os Técnicos do TSE, isto é, na mesma sala, aí sim, seria transparência total. No meu imaginário, acho que o SISTEMA está por trás de tudo isso, seja ele da NOM ou do SISTEMA local mesmo, não é atoa que o PT vinha sendo eleito a nível NACIONAL e o PSDB sempre mantendo São Paulo.

  6. ysrebelde disse:

    Vamos ser sinceros, a esquerda nunca gostou de transparência, clareza, e verdades ditas. Eita partido que é chegado numa treta braba!

  7. Defensor da liberdade disse:

    Só acho engraçado que o verdadeiro papel as forças armadas não cumprem, estão todas às moscas, usando velharia dos anos 60, e com mais gente na folha de pagamento que até mesmo a Marinha britânica, por exemplo, uma das maiores do globo, demonstrando claramente que são apenas cabides de empregos. Agora se acham no direito de fazer contagem paralela de votos, desvio ilegal de função. É o golpismo que ainda corre nas veias das fracas armadas do Brasil.

  8. Defensor da liberdade disse:

    Irineu é TSE, animal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.