Durante passeata, policiais civis de PE voltam a criticar governo e acenam para greve

por Carlos Britto // 27 de janeiro de 2022 às 10:00

Foto: Sinpol-PE/arquivo

Policiais civis vindos de várias regiões de Pernambuco realizaram ontem (26) uma passeata pelas ruas do Centro do Recife, em direção ao Palácio do Campo das Princesas, onde fizeram uma assembleia da Campanha Salarial e Funcional 2021/2022. Indignados com a postura da gestão estadual, por não terem recebido a contraproposta do governo, que ficou acertado para o dia de ontem, a categoria deliberou por endurecer ainda mais o movimento e marcou para o dia 11 de fevereiro uma nova assembleia, que pode acabar em greve.

Entre as reivindicações apresentadas durante as negociações estão a valorização salarial e funcional do policial civil de base, a melhoria nas condições de trabalho nas delegacias e institutos de todo o Estado e o fim da clandestinidade funcional a qual a base dos profissionais está submetida.

A categoria está em estado de greve desde o dia 29 de dezembro do ano passado e, durante este mês, realizou protestos por todo o Estado – a exemplo do ‘Ato das Cruzes’, que passou pela capital pernambucana no dia 31/12, Caruaru (6/01), Petrolina (12/01) e Porto de Galinhas (19/01), denunciando o número elevado de homicídios no território pernambucano, com mais de 3 mil mortes em 2021. Além disso o Sinpol-PE, sindicato que responde pela categoria, lembra os 130 policiais civis vítimas da Covid-19 e da incapacidade da Polícia Civil (PC) em elucidar a grande maioria desses crimes, por falta de estrutura nos postos de trabalho e de efetivo, e do pior salário do país para a base da PC.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.