Durante evento da Alepe em Petrolina, Antonio Coelho diz ver com bons olhos fim das coligações partidárias

2
Foto: Emerson Leite/divulgação

Um dos presentes ao encontro promovido ontem (27) em Petrolina, na Câmara de Vereadores, pela Assembleia Legislativa (Alepe) e pelo Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE), que abordou as novas regras para as eleições 2020, o deputado estadual Antonio Coelho (DEM) disse ver com bons olhos a decisão. O democrata citou o fim das coligações partidárias como a questão mais importante dessa mudança.

“Isso vai garantir uma afinidade ideológica mais próxima dos representantes políticos com o eleitorado, já que com essa crise política turbulenta do país, a população não se sentia representada. Daí o Congresso Nacional adotou novas regras eleitorais”, destacou.

De acordo com Antonio, esse curso sobre as mudanças na lei eleitoral “é importantíssimo”, já que para um processo democrático ser respeitado, é preciso as pessoas entenderem que foi justo. O evento reuniu, além de pré-candidatos de Petrolina, representantes de outros municípios do Sertão do São Francisco.

2 COMENTÁRIOS

  1. Justiça seja feita,os candidatos mais votados que assumam seus mandatos,pois não é justo candidatos a vereadores tirarem menos votos que outro e assumirem o mandato.Também tem que acabar com segundo turno nas eleições para o mandato no executivo,o candidato que obter mais votos,seja por diferença de 1 voto que assuma o mandato,obedecendo assim a vontade do povo.

  2. É bom não esquecer que ele, os irmãos e o pai são eleitos por causa dessas coligações. Mas é bom que se acabe essas coligações e também financiamento privado de campanha. Cada candidato que gaste do seu bolso na campanha, se for capaz e competente faz sua campanha no corpo a corpo, não precisa gastar dinheiro público com campanha. Um cidadão quando faz concurso público gasta dinheiro do seu próprio bolso com cursinho, material de estudo, porquê o político não pode gastar do seu bolso. Aliás, é muito bom que cada candidato passe por prova de conhecimento geral e conhecimento mínimo da Constituição e tendo como prova eliminatória o conhecimento em história do Brasil, redação e gramática.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome