Durante evento da Alepe em Petrolina, Antonio Coelho diz ver com bons olhos fim das coligações partidárias

por Carlos Britto // 28 de junho de 2019 às 07:40

Foto: Emerson Leite/divulgação

Um dos presentes ao encontro promovido ontem (27) em Petrolina, na Câmara de Vereadores, pela Assembleia Legislativa (Alepe) e pelo Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE), que abordou as novas regras para as eleições 2020, o deputado estadual Antonio Coelho (DEM) disse ver com bons olhos a decisão. O democrata citou o fim das coligações partidárias como a questão mais importante dessa mudança.

“Isso vai garantir uma afinidade ideológica mais próxima dos representantes políticos com o eleitorado, já que com essa crise política turbulenta do país, a população não se sentia representada. Daí o Congresso Nacional adotou novas regras eleitorais”, destacou.

De acordo com Antonio, esse curso sobre as mudanças na lei eleitoral “é importantíssimo”, já que para um processo democrático ser respeitado, é preciso as pessoas entenderem que foi justo. O evento reuniu, além de pré-candidatos de Petrolina, representantes de outros municípios do Sertão do São Francisco.

Durante evento da Alepe em Petrolina, Antonio Coelho diz ver com bons olhos fim das coligações partidárias

  1. JUSTIÇA SEJA FEITA! disse:

    Justiça seja feita,os candidatos mais votados que assumam seus mandatos,pois não é justo candidatos a vereadores tirarem menos votos que outro e assumirem o mandato.Também tem que acabar com segundo turno nas eleições para o mandato no executivo,o candidato que obter mais votos,seja por diferença de 1 voto que assuma o mandato,obedecendo assim a vontade do povo.

  2. Maria disse:

    É bom não esquecer que ele, os irmãos e o pai são eleitos por causa dessas coligações. Mas é bom que se acabe essas coligações e também financiamento privado de campanha. Cada candidato que gaste do seu bolso na campanha, se for capaz e competente faz sua campanha no corpo a corpo, não precisa gastar dinheiro público com campanha. Um cidadão quando faz concurso público gasta dinheiro do seu próprio bolso com cursinho, material de estudo, porquê o político não pode gastar do seu bolso. Aliás, é muito bom que cada candidato passe por prova de conhecimento geral e conhecimento mínimo da Constituição e tendo como prova eliminatória o conhecimento em história do Brasil, redação e gramática.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.