Documentos e máquinas somem das prefeituras na Bahia

por Carlos Britto // 25 de janeiro de 2009 às 13:41

Pelo menos 50 prefeitos baianos tiveram uma desagradável surpresa ao assumirem seus mandatos em 1º de janeiro: não encontraram, nas prefeituras, registro algum sobre os convênios e contratos firmados entre os municípios e os governos estadual e federal. A informação é da Coordenação de Assuntos Federativos da Secretaria Estadual de Relações Institucionais (Serin).  “Esse número deve crescer, já que muitos prefeitos ainda estão ‘tomando pé’ das prefeituras”, afirmou a coordenadora Elisa Pellegrini, salientando que sem os documentos “os gestores não sabem quanto e a quem devem, o que pode interromper obras e serviços por inadimplência ou falta de prestação de contas”.  Pellegrini reconhece que a situação faz parte da prática conhecida como “terra arrasada”, em que, antes de passar a administração para um adversário, o gestor “de saída” destrói documentos, esvazia cofres públicos e sucateia equipamentos para dificultar a vida do novo gestor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.