Discursos dos líderes das bancadas na Casa Plínio Amorim indicam acirramento político mais intenso após recesso carnavalesco

1
Crédito (Paulo Valgueiro): Jean Brito/CMP divulgação

O tom dos discursos dos vereadores na Casa Plínio Amorim, antes do recesso do Carnaval, deixa claro que após a folia, quando o ano verdadeiramente começa no país, o acirramento político deve ser ainda mais forte.

Esse cenário vai ficando claro através das recentes declarações dos líderes das duas bancadas na Casa – os vereadores Paulo Valgueiro (MDB), pela oposição, e Aero Cruz (PSB), pela situação. Ao ser questionado sobre uma aproximação política do seu aliado, o ex-prefeito Julio Lossio, com o governador Paulo Câmara (PSB), Valgueiro disse ver o fato com naturalidade. Até porque, segundo ele, a maioria das forças de oposição em Petrolina faz parte da base do governo estadual.

Julio (Lossio) está no PSD, que está na base do Governo Paulo Câmara. Odacy Amorim é do PT, que também dá sustentação ao governador, e Lucas Ramos é do PSB, partido do governador. Então, se essas forças de oposição iniciam uma conversação em Petrolina e Paulo Câmara se apresenta como liderança por ser governador do Estado, é natural que essas conversas cheguem ao Palácio do Campo das Princesas”, avaliou. Valgueiro não perdeu a chance de cutucar o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB), a quem considera “um semeador da discórdia” desde à época em que Eduardo Campos governava Pernambuco e era oposição a Lossio na cidade.

Aero Cruz não deixou barato as críticas. Primeiro, ironizou o alinhamento político entre Lossio e Câmara. “Quando você está morrendo afogado, você se agarra em qualquer tronco que passar no meio do rio. A gente sabe a situação que Julio Lossio está politicamente na cidade, e ele não tinha outra forma que não se encostar no governador que ele tanto bateu”, disse o governista. “Mas a gente entende, a política é isso. Não há adversário que não possa ser aliado, nem aliado que não possa ser adversário”, completou.

FBC

Sobre o comentário de Valgueiro contra FBC, Aero afirmou que o senador sempre foi de agregar, e não o contrário. “Tanto que ele foi convidado pelo presidente Bolsonaro para fosse o seu líder e articulador no Senado. Essas colocações da oposição a gente não pode esperar coisa boa, porque eles sequer reconhecem que estamos em primeiro lugar no Ideb da Educação no Estado de Pernambuco, estamos com a melhor saúde e com o maior programa de regularização fundiária de Petrolina”, pontuou.

1 COMENTÁRIO

  1. Ué Aero, como você mesmo disse FBC está no governo Bolsonaro por que este pode morrer afogado, e precisa se agarrar em qualquer coisa, basta ver as fanfarronices que foram aprovadas com articulação do líder do governo, juiz de garantias, mais regras para à delação premiada, e outras porcarias que irão engessar ainda mais a justiça brasileira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome